PUBLICIDADE

Eurocopa

Inglaterra joga mal, empata, mas escapa da Alemanha na Eurocopa; Dinamarca e Eslovênia se garantem

Dois empates sem gols definem Grupo C; Sérvia dá adeus ao torneio

25 jun 2024 - 18h23
(atualizado às 18h26)
Compartilhar
Exibir comentários

A definição do Grupo C da Eurocopa 2024 veio com dois empates sem gols, mais uma apresentação abaixo do esperado da líder Inglaterra - que ainda não encantou - e com a Dinamarca garantindo a segunda posição por menos cartões amarelos que a Eslovênia, festiva por avançar pela primeira vez aos mata-matas sem nenhuma derrota - empatou todas. A Sérvia, em último, se despediu. Com os resultados, a Croácia está matematicamente eliminada também.

Em dia de vaias e pouca chance efetiva, a Inglaterra não conseguiu superar a forte parede defensiva da Eslovênia e amargou a segunda igualdade seguida na Eurocopa, desta vez por 0 a 0 - vinha de 1 a 1 com a Dinamarca. Beneficiada por outro 0 a 0, de dinamarqueses e sérvios, os atuais vice-campeões avançaram em primeiro, com cinco pontos.

Na segunda colocação surge a Dinamarca, com três pontos e beneficiada por menos cartões amarelos que a Eslovênia, também com três e até então sem nenhuma vitória na história da Eurocopa.

Os quatro representantes do Grupo C entraram em campo em condições de terminar na liderança da chave. A favorita Inglaterra estava garantida como ao menos uma das quatro melhores terceiro colocadas, mas queria o topo após empate com a Dinamarca para escapar da anfitriã Alemanha nos mata-matas.

A ordem do técnico Gareth Soutghate era sufocar a invicta, porém sem vitórias, Eslovênia. E a postura dos ingleses, atuais vice-campeões, foi de marcação alta e com os pontas Saka e Foden bem abertos tentando servir o artilheiro Kane. Os meias também tinham liberdade para avançar, casos de Bellingham e Mainoo.

Curiosamente, o primeiro gol do jogo veio aos 19 minutos em bela troca de passes e Foden servindo Saka. Mas a arbitragem anotou impedimento antes da assistência e a pintura acabou invalidada no RheinEnergieStadion, em Colônia.

Com um paredão defensivo, a Eslovênia conseguia neutralizar as jogadas ofensivas e ainda encaixava bons contragolpes com Sesko e Sporar. Mas faltava perna para os atacantes, que se sacrificavam na marcação e chegavam na frente já cansados.

Kane parou no goleiro em sua primeira cabeçada no jogo. Na segunda, não conseguiu o desvio. Sem conseguir encaixar as tabelas, os ingleses começaram a apelar aos cruzamentos na busca de um cabeceio ou desvio certeiro. Mas o experiente Oblak estava atento e segurando todas. O empate permaneceu até o intervalo.

Soutghate tentou deixar a Inglaterra ainda mais ofensiva com a entrada de Hainoo, mas a tônica da partida não mudou. Pickford era pouco ameaçado no gol inglês, mas seu ataque também demonstrava desorganização na frente.

A apresentação ruim dos ingleses, com pouco repertório ofensivo, deixou torcedores irritados e as vaias começaram a surgir restando 10 minutos. A tensão era a de que a Dinamarca abrisse o placar no outro jogo e a queda para a segunda colocação colocasse a forte Alemanha como rival já nas oitavas de final. Palmer teve a chance nos acréscimos, mas bateu nas mãos de Oblak.

Ao apito final, com ingleses incrédulos com o tropeço apesar da liderança, os eslovenos fizeram enorme festa pelo terceiro ponto e a inédita classificação às oitavas. A equipe celebrou bastante com a torcida ainda no gramado em Colônia.

Dinamarca avança em segundo

Em Munique, com uma atmosfera positiva, a Dinamarca pressionou bastante a Sérvia, desperdiçou diversas oportunidades e terá a ingrata missão de encarar os anfitriões nas oitavas com 0 a 0 diante da Sérvia e a segunda posição da chave.

Olsen foi bem na armação e chegando na frente, mas Rajkovic fez milagres na primeira etapa, garantindo a igualdade até o descanso. Os sérvios, mesmo necessitando ganhar, foram pouco atrevidos na etapa.

No segundo tempo, em raro contragolpe e com Novak Djokovic na torcida, a Sérvia abriu o marcador aos oito minutos, mas antes de Andersen mandar contra as próprias redes, o impedimento de Jovik acabou anotado, salvando o zagueiro. Mesmo mais à frente, os sérvios não conseguiram levar real perigo ao goleiro Schmeichel, e acabaram eliminados com a igualdade.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade