PUBLICIDADE

Espanhóis temem vaia a hino nacional na final da Copa do Rei

13 mar 2015
09h56 atualizado às 10h37
0comentários
09h56 atualizado às 10h37
Publicidade

Com a final da Copa do Rei entre Barcelona e Athletic Bilbao marcada para 30 de maio, a Federação Espanhola e os clubes esperam definir o mais rápido possível o palco da decisão. Porém, encontrar um estádio para receber o jogo não é a única dúvida dos espanhóis. Os diretores da Federação temem que, por conta dos fortes ideais separatistas de catalães e bascos, o hino nacional da Espanha - marca da final competição - seja desrespeitado.

<p>Barcelona tem em grande parte de sua torcida um forte sentimento separatista catal&atilde;o</p>
Barcelona tem em grande parte de sua torcida um forte sentimento separatista catalão
Foto: Marcelo del Pozo / Reuters

Na última quinta, Javier Tebas, presidente da LFP - instituição que organiza o Campeonato Espanhol, mas não se responsabiliza pela Copa do Rei - falou que espera não ouvir assobios durante a execução do hino na final. "Se tivessem assobios, eu suspenderia a final da Copa. O hino é um dos símbolos da final da competição. Ainda que não seja organizada por nós, a LFP está muito preocupada com a organização da decisão, não devemos deixar que se boicote o hino", declarou ao jornal espanhol AS.

Fontes da LFP entendem que o ato de desrespeitar o hino poderia ser considerado como uma razão para cancelar o evento. A Lei de Seguridade e Cidadania, aprovada pelo Conselho de Ministros da Espanha em novembro de 2013, dá conta de que ofensas à Espanha, às comunidades autônomas, às instituições, hinos, símbolos ou emblemas efetuadas por qualquer meio podem resultar em punição já pré-estabelecida.

Jorge Fernández Diaz, ministro responsável por sancionador o código de segurança e cidadania há dois anos, deixou claro que não há bases legais para punir indivíduos que assobiem durante o hino nacional espanhol, o que deixa a proposição de Javier Tebas sem respaldo algum. Fala-se que Miguel Cardenal, secretário de Esportes, enviará nos próximos dias um ofício ao Barça e ao Bilbao para que conscientizem as torcidas de que é necessário uma boa postura no estádio.

O ativista Oriol Junqueira, que lidera a Esquerra Republicana, espécie de partido político socialdemocrata da Catalunha, comunicou na última quarta que "seria bom se os torcedores do Barcelona fossem compreensíveis com o sentimento dos demais. Se não souberem ou não quiserem cantar o hino, prefiro que façam um esforço para serem respeitosos", falou o cidadão que chefia uma das frentes que luta pela emancipação do território catalão

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade