PUBLICIDADE

Ousmane Dembélé vai de 'melhor que Neymar' até saída do Barcelona pelas portas do fundo

Francês chegou ao clube catalão como grande promessa, mas não correspondeu às expectativas e deve deixar o time espanhol

21 jan 2022 15h10
| atualizado às 15h10
ver comentários
Publicidade

Ousmane Dembélé foi apresentado em agosto de 2017 no Barcelona com status de grande contratação e substituto de Neymar, que havia se transferido para o Paris Saint-Germain, mas a realidade do jogador hoje é bem diferente do que se imaginou há três anos. No Barça, o francês não correspondeu às expectativas sobre o seu futebol, acumulou lesões e problemas extracampo e está perto de deixar o clube espanhol sem deixar qualquer saudade no torcedor.

Em sua apresentação, o presidente do Barcelona à época, Josep Bartomeu, fez questão de exaltar o talento da promessa e o colocou acima de Neymar. "O nível de Dembélé é melhor agora que o de Neymar. É muito melhor jogador que Neymar e já está adaptado".

Mas o francês, que recebeu a camisa 11, descartou comparações com o craque brasileiro. "Há uma grande diferença entre Neymar e eu. Ele é um dos melhores jogadores do mundo e eu sou muito jovem. Só tenho 20 anos. Estou tentando crescer e venho para este grande clube para crescer ainda mais".

O Barcelona pagou ao Borussia Dortmund uma quantia de 105 milhões de euros (cerca de R$ 388,9 milhões à época) pela contratação do francês, que assegurou que o altíssimo valor pago não o faz se sentir pressionado a mostrar logo de cara que o investimento valeu a pena. "Não me coloco pressão, esse é o mercado das transferências, que voltou 'um pouco louco' (nesta janela de transferências). Tenho 20 anos e não presto atenção nestas quantidades (de dinheiro)", disse.

Dembélé no Barcelona: atuações pouco convincentes e problemas extracampo

Em campo, Dembélé pouco agregou ao Barcelona. Esteve longe de ser o jogador que o clube e a torcida esperavam. A vaga de coadjuvante de luxo do craque Lionel Messi não foi preenchida pelo francês. Nas cinco temporadas, atuou apenas em 129 partidas e marcou 31 gols. Fora das quatro linhas, também deixou a desejar.

O jogador ficou marcado por seguidas faltas e atrasos nos treinos, que foram constantes em toda a sua passagem no clube. Já em 2018 foi cobrado internamente e até teve seu comportamento orientado por atletas mais experientes, como o atacante Luis Suárez. "Ousmane sabe disso, o futebol é um privilégio para cada jogador. É preciso talvez mais foco e ser mais responsável em algumas coisas", disse o uruguaio.

Em 2020, Dembélé foi um dos protagonistas da janela de transferências, ao ser seguido de perto pelo Manchester United, que tentou exaustivamente sua contratação para suprir uma carência no ataque. O francês, no entanto, rejeitou todas as investidas dos Diabos Vermelhos, o que revoltou um dos maiores ídolos do Barcelona, Rivaldo. Em entrevista ao jornal espanhol As, o ex-jogador criticou o comportamento do atacante francês.

"Dembélé continua a se machucar, chegando atrasado para o treino... ele deve ser muito mais responsável. Se fizesse o seu trabalho, se jogasse regularmente, teria todo o direito no mundo de ficar no Barcelona, mas não é o caso. O Dembélé nada fez para retribuir ao clube o enorme esforço que fez com a contratação", afirmou.

Em julho deste ano, esteve em uma polêmica junto ao companheiro de time e compatriota Antoine Griezmann. Ambos pediram desculpas após um vídeo gravado em 2019 no qual aparecem zombando da aparência e linguagem de funcionários de um hotel no Japão viralizar na redes. "Essas expressões não foram direcionadas a nenhuma comunidade específica", disse Dembelé, no Instagram. "Eu entendo que posso ter machucado as pessoas nessas imagens. Por isso, peço desculpas sinceramente", completou.

O diretor de futebol do Barcelona, Mateu Alemany, disse nesta quinta-feira que o clube comunicou Dembélé e seus representantes que o jogador, que tem contrato se encerrando em junho deste ano, "deve sair imediatamente". "Parece evidente que o jogador não quer continuar no Barcelona e se envolver em um futuro projeto. Nestas condições, lhe dissemos, e aos seus agentes, que deverá ir embora de imediato", disse Alemany em declarações ao site oficial do time.

O aviso do diretor acontece um dia depois de o treinador Xavi Hernández não ter convocado o francês para o jogo desta quinta-feira contra o Athletic Bilbao, pelas oitavas de final da Copa do Rei, e também ter dito que a porta de saída estava aberta, caso não renovasse.

"O Dembélé ou renova ou vai sair do clube. Não vai ficar nas tribunas assistindo aos jogos. Fui muito claro com ele. Estamos em negociações há cinco meses. Já chega. Não podemos esperar mais. Os interesses do clube têm sempre que prevalecer. Ele já disse que quer ficar, mas esta situação tem que acabar", disse Xavi.

Nesta quinta-feira, Alemany lembrou que as negociações para a renovação de Dembélé começaram há seis meses, com várias ofertas do Barcelona, e que foi tempo mais do que suficiente para o jogador decidir o seu futuro. A partir deste mês, o francês pode assinar um pré-contrato com outro clube e o fato de não avançar com a renovação faz com que o Barcelona considere que não está comprometido.

Através de suas redes sociais, Dembélé se posicionou rebatendo as declarações do dirigente do Barcelona. "Ainda tenho contrato, estou totalmente comprometido e à disposição do meu clube e do meu treinador. Sempre dei tudo pelos meus companheiros e também por todos os sócios (membros do clube). Isso não vai mudar agora. Não sou um homem que trapaceia e definitivamente não sou um homem acostumado a ceder à chantagem."

"As fofocas sobre mim se acumulam há quatro anos. Faz quatro anos que as pessoas falam por mim, mentiram vergonhosamente com um único propósito, a intenção de me prejudicar. Eu sigo minha linha de nunca responder há quatro anos, de nunca me justificar. Foi um erro? Certamente", acrescentou.

Estadão
Publicidade
Publicidade