PUBLICIDADE

Marquinhos minimiza favoritismo do PSG na Liga dos Campeões

Zagueiro evita falar sobre chances de título antes da estreia do time francês na competição, nesta quarta-feira, contra o Brugge, na Bélgica

14 set 2021 14h54
| atualizado às 16h30
ver comentários
Publicidade

O zagueiro Marquinhos admitiu, nesta terça-feira, a força do Paris Saint-Germain para disputar a Liga dos Campeões, mas não assumiu o favoritismo do time francês na competição, em entrevista coletiva, um dia antes da estreia diante do Club Brugge, na Bélgica, pelo grupo A da competição, nesta quarta, às 16h (de Brasília). A chave ainda conta com Manchester City e RB Leipzig, que se enfrentam na Inglaterra no mesmo dia e horário.

Marquinhos e Mauricio Pochettino durante entrevista coletiva nesta terça-feira
Marquinhos e Mauricio Pochettino durante entrevista coletiva nesta terça-feira
Foto: Reprodução/@psg.fr

"Entramos em campo com o espírito de que o próximo jogo sempre é o mais importante. Quando a partida começar, não há mais estrelas em campo, você tem de se sacrificar, você não ganha uma partida com o seu nome. Não sei jogar futebol antes que o árbitro apite o início da disputa", disse o capitão Marquinhos.

O brasileiro reconheceu que a equipe francesa é "um dos melhores times", mas preferiu deixar as análises para a imprensa e para os torcedores. "Eu deixo as pessoas falarem, não vou dizer que o PSG é o melhor time do mundo ou a equipe a ser vencida, deixo isso para os jornalistas e para os fãs."

Marquinhos acrescentou que o time parisiense sempre tem "pressão" para vencer e a cobrança não será maior pelo fato de o ataque contar com o badalado trio formado por Messi, Neymar e Mbappé. "É verdade que as pessoas vão comentar mais nossas atuações por causa do elenco que temos. É muito bom ter jogadores assim do nosso lado, mas isso não aumenta nossa pressão, é apenas positivo."

Sobre a companhia de Messi, que fará sua estreia pelo PSG na principal competição europeia após deixar o Barcelona, o defensor disse que não teve uma conversa específica com o recém-chegado sobre este primeiro desafio no torneio continental, embora falem "todos os dias sobre futebol, estratégias e táticas".

"Um capitão também deve aparecer em campo, com sua atitude, não só com a palavra, é assim que gosto de mostrar minha liderança. Mais tarde, se necessário, falaremos um dia, mas não é a hora", finalizou o zagueiro do PSG e da Seleção Brasileira.

Pochettino também exibe cautela

Ao lado de Marquinhos na entrevista coletiva desta terça-feira, o técnico Mauricio Pochettino analisou o adversário da equipe francesa na estreia da Liga dos Campeões e também evitou mostrar euforia com o fato de comandar um time que é cotado como forte candidato ao título continental.

"É uma equipe que joga bem, que tem dominado o Campeonato Belga nos últimos anos. É uma equipe física, que joga um futebol atrativo e pode mudar de sistemas, como nas últimas partidas onde passou do 5-3-2 para o 4-3-3. Devemos ter respeito por eles e fazer de tudo para vencer esta partida", disse o treinador.

O Paris divulgou a lista de relacionados para a estreia no torneio com Messi e Neymar. Pochettino, porém, evitou confirmar a formação titular contra o Brugge. Mas ele reconheceu a força de sua equipe pelo poderoso elenco que possui, assim como exaltou o Chelsea, atual campeão europeu.

"Ainda não decidi quais são os onze (titulares), vamos ver depois do treino desta terça-feira. Ainda existem algumas dúvidas. Somos favoritos? É possível que nós e o Chelsea sejamos as duas equipes a serem batidas no papel, dados os nossos números, mas o Chelsea é o atual campeão. Ele investiu ainda mais do que Paris neste verão. Para mim, é o time a ser batido. Somos um clube que recrutou muito, mas agora temos que lançar as bases para nos tornarmos uma grande equipe", completou o comandante. (com informações da Gazeta Esportiva)

 

Estadão
Publicidade
Publicidade