8 eventos ao vivo

Allan é convocado para a vaga de Fabinho na seleção; Neymar pode ser cortado

Volante do Liverpool sofreu lesão muscular na coxa direita em jogo da Liga dos Campeões

28 out 2020
21h54
atualizado às 21h54
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A CBF confirmou nesta quarta-feira que Fabinho, volante e zagueiro do Liverpool, não terá condições de jogar as próximas duas partidas da seleção brasileira pelas Eliminatórias Sul-Americanas. Assim, Allan, meiocampista do Everton, foi chamado para substituí-lo. A seleção pode sofrer ainda mais uma baixa: Neymar saiu lesionado em jogo do PSG na Liga dos Campeões.

Fabinho sofreu uma lesão na coxa direita durante o confronto do Liverpool com o Midtjylland pela Liga dos Campeões. O defensor não é a primeira baixa da lista original de Tite para enfrentar Venezuela e Uruguai: Philippe Coutinho também foi cortado, sendo substituído por Lucas Paquetá.

A lesão do jogador ainda foi motivo de alfinetada do técnico do time inglês, Jürgen Klopp, a Tite. Segundo Klopp, como Fabinho não é utilizado pelo treinador da seleção brasileira, seriam apenas dois jogos a menos em que ficaria no banco.

Allan estreou pela seleção brasileira em novembro de 2018 contra o Uruguai, um dos próximos adversário. Contando o jogo preparatório contra os uruguaios, Allan já vestiu a amarelinha em oito oportunidades, sendo parte do elenco campeão da Copa América em 2019.

A seleção se reunirá para treinar na Granja Comary em 9 de novembro. O jogo contra a Venezuela ocorrerá no Morumbi, em São Paulo, no dia 13 de novembro. Quatro dias depois, o Brasil enfrenta o Uruguai no estádio Centenário, em Montevidéu.

NEYMAR

Nesta quarta, Neymar teve que ser substituído aos 26 minutos do primeiro tempo durante o jogo do PSG com o Istanbul Basaksehir pela Liga dos Campeões, demonstrando dor na coxa esquerda. Os resultados dos exames saem apenas na manhã de quinta, indicando se o atacante será mais uma baixa para a seleção brasileira de Tite.

Veja também:

Ídolos do futebol homenageiam e choram morte de Maradona
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade