PUBLICIDADE

Pacaembu: concessão tem só 1 interessado (e não é o Santos)

4 mar 2015 08h41
| atualizado às 09h39
ver comentários
Publicidade

Com objetivo de modernizar o Estádio do Pacaembu, a Prefeitura Municipal de São Paulo lançou um chamamento público em janeiro, tendo ampliado o prazo de encerramento para o próximo dia 20. A busca é por um parceiro que invista no local, mas até aqui apenas um interessado se pronunciou.

"Um candidato já se pronunciou", revela com exclusividade à Gazeta Esportiva.Net o secretário de Esportes, Lazer e Recreação da capital, Celso Jatene. "Não posso adiantar quem é para não prejudicar esse processo. Ainda não é o Santos, mas temos a informação de que o Santos também tem interesse, de que pensa em entrar (no chamamento)."

Sem arena, Santos ainda estuda ficar com o Pacaembu em definitivo
Sem arena, Santos ainda estuda ficar com o Pacaembu em definitivo
Foto: Divulgação Santos FC

Com projeto de deixar de mandar seus jogos na Vila Belmiro nos próximos anos, o Santos teria como "plano B" administrar o Pacaembu. Especula-se ainda o sonho de construir uma arena na Baixada Santista, mas o Santos ainda não trata publicamente das possibilidades.

Como os rivais do clube já têm casa própria, o interesse do Santos seria ideal para que o Pacaembu voltasse a receber partidas com maior frequência. Mas Celso Jatene não vê uma parceria com o time alvinegro como prioridade da Prefeitura. "O melhor será aquele parceiro que se enquadrar nas nossas exigências. Sendo ou não o Santos", explica o secretário, mantedo-se imparcial a despeito da bandeira do clube em sua sala. 

"Velha Guarda" do Santos comanda vitória; veja bastidores :

"Se por acaso não acontecer (a concessão), vamos seguir com o estádio, porque os custos estão inseridos no orçamento", afirma o secretário. "A gente não quer se livrar do Pacaembu. Se for o caso, planejamos algumas obras pontais, como a reforma dos banheiros, mas não teríamos condições de modernizar", admite.

Atualmente a manutenção do Estádio do Pacaembu custa R$ 9 milhões por ano. A estimativa da Prefeitura é que um parceiro teria que investir pelo menos R$ 200 mi para revitalizar o complexo esportivo.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade