PUBLICIDADE

É carrasco! Danilo comprova fama e frustra SPFC pela 6ª vez

8 mar 2015 - 18h11
(atualizado em 9/3/2015 às 00h53)
Ver comentários
Publicidade

“Prazer, Danilo Gabriel de Andrade. Mas pode me chamar de seu carrasco”. Se não assim, de que forma o camisa 20 corintiano poderia se apresentar aos torcedores do São Paulo, clube pelo qual inclusive foi campeão mundial em 2005? Chega a assustar constatar o quanto o meio-campista de 35 anos cresce quando entra em campo para enfrentar os principais rivais alvinegros. Principalmente o São Paulo.

Neste domingo, os tricolores que compareceram ao Morumbi para acompanhar ao clássico Majestoso válido pela oitava rodada do Campeonato Paulista com certeza não queriam que ele, Danilo, estivesse em campo. Quando o nome do jogador foi anunciado pelos alto-falantes do estádio, as vaias logo surgiram. Implicitamente, cada uma delas tinha um pouco de mágoa pelo que o meia já havia feito quando, vestindo a camisa do Corinthians, pisou em um gramado para jogar contra o São Paulo.

Danilo marca novamente e confirma apelido de "rei dos clássicos"
Danilo marca novamente e confirma apelido de "rei dos clássicos"
Foto: Miguel Schincariol / Gazeta Press

Mas não deu certo. Bastaram 11 minutos para que o corintiano se posicionasse na meia lua da grande área, esperasse pelo cruzamento de Guerrero e cutucasse a bola, com extrema de categoria, no canto esquerdo de Rogério Ceni. Foi gol! Do Danilo! De novo! Não houve uma pessoa que não tivesse personificado o termo “carrasco” ao ver o atleta correndo, com os braços abertos, para comemorar mais um balanço de rede contra o São Paulo.

Foi a sexta vez que Danilo deu alegrias aos corintianos e frustrou os tricolores com gols no clássico Majestoso. Na primeira delas, em um 4 a 3 alvinegro em 2010, o meia também inaugurou as redes como jogador do time de Parque São Jorge. Desde então, o camisa 20 fez um golaço no histórico 5 a 0 de 2011, anotou o gol da vitória por 1 a 0 no Paulista de 2012, marcou o primeiro do 2 a 1 do Corinthians também pelo Estadual, mas em 2013, e foi as redes no segundo jogo decisivo da Recopa Sul-Americana, há duas temporadas. Ufa!

Talvez por isto Tite tenha relutado em tirá-lo do time para a partida deste domingo. Guerrero voltava à equipe (depois de, suspenso, ver Danilo ocupar a sua posição no clássico contra o São Paulo pela Libertadores), e a tendência era a de que o camisa 20 começasse no banco. Mas Renato Augusto se lesionou diante do San Lorenzo, e uma vaga no meio de campo ficou aberta. Era o sinal de que Danilo deveria jogar? Quando Guerrero lhe cruzou a bola praticamente na primeira investida ofensiva alvinegra na partida, ficou provado que sim.

A soma Danilo + Corinthians parece ser letal ao time tricolor.

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade