PUBLICIDADE

CR7 afasta garrafas de patrocinador e provoca queda em ações

Atacante de Portugal gera repercussão mundial ao tirar a Coca-Cola de sua frente na mesa de entrevistas

15 jun 2021 14h27
| atualizado às 14h56
ver comentários
Publicidade
Cristiano Ronaldo durante entrevista da Euro 2020 na Puskas Arena, Budapeste
14/6/ 2021 UEFA/via REUTERS
Cristiano Ronaldo durante entrevista da Euro 2020 na Puskas Arena, Budapeste 14/6/ 2021 UEFA/via REUTERS
Foto: Reuters

O gesto de Cristiano Ronaldo durante uma coletiva de imprensa pode ter custado cifras milionárias à Coca-Cola. Em uma entrevista na segunda-feira, 14, antes da partida entre Portugal e Hungria, pela Eurocopa, ele removeu duas garrafas do refrigerante da sua frente e trouxe a de água mais para perto, fazendo uma referência para que as pessoas bebessem mais água.

A atitude do jogador, que sempre que teve oportunidade enalteceu uma alimentação saudável, pode ter desencadeado uma queda de 1,6% da Coca-Cola na Bolsa de Valores. Segundo o jornal espanhol Marca, em termos econômicos, a empresa perdeu US$ 4 bilhões (R$ 20 bilhões) após esse gesto do atacante.

A Coca-Cola é parceira de longa data da Uefa e patrocina a Eurocopa desde 1988. São nove edições seguidas, incluindo a atual, e é comum ela colocar sua bebida ao lado dos microfones durante as entrevistas coletivas de técnicos e jogadores.

Procurada, a empresa disse que não iria se manifestar. Já a Uefa não respondeu aos pedidos da reportagem até a publicação deste texto.

Veja os 15 principais candidatos à artilharia da Eurocopa:
Estadão
Publicidade
Publicidade