PUBLICIDADE

Copa Feminina

Zagueira dos EUA não canta o hino na Copa Feminina: 'Não é o foco'

A maioria das jogadoras dos Estados Unidos se recusaram a cantar o hino do país no jogo contra o Vietnã

24 jul 2023 - 05h04
(atualizado às 07h40)
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: Carmen Mandato/USSF/Getty Images

A zagueira Noemi Girma causou dúvida em alguns torcedores nas redes sociais por não cantar o hino dos Estados Unidos durante a exibição antes da estreia da seleção na Copa do Mundo Feminina. O hino é uma grande tradição que antecede as partidas de futebol, e normalmente se trata de um momento de representar o seu país. 

A maioria das jogadoras dos Estados Unidos se recusaram a cantar o hino do país no jogo contra o Vietnã, o que acontece desde o último Mundial, em 2019. Foi possível ver nas imagens do confronto, que apenas três jogadoras cantaram o hino. O restante ficou em silêncio durante a exibição.

A zagueira Noemi Girma não explicou exatamente o motivo, mas alertou que não se trata de um combinado entre elas. "Quando vamos para o campo, estamos nos preparando para o jogo, isso [o hino nacional] não é o foco. No final, cada jogador pode escolher, é tudo o que tenho a dizer", revelou Girma, em coletiva de imprensa.

A craque Megan Rapinoe, que já revelou que a Copa Feminina 2023 será a sua última, foi uma das pioneiras no veto da cantoria do hino no Mundial de 2019. Na ocasião, ela afirmou que nunca mais cantaria o hino, e um dos motivos eram os casos de violência policial contra negros ocorridos em 2016, em diversos estados norte-americanos.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade