2 eventos ao vivo

"Dois pontos que podem levar à Copa", diz advogado do Chile

1 nov 2016
19h07
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Foto: Getty Images

O advogado brasileiro Eduardo Carlezzo, de 37 anos, foi o autor da ação que garantiu ao Chile mais dois pontos nas eliminatórias do Mundial de 2018, por causa da escalação irregular do volante Nelson Cabrera, pela Bolívia, no jogo em que as duas seleções empataram (0 a 0), em 6 de setembro, na cidade de Santiago. Contratado pela federação chilena há um mês e meio, Carlezzo obteve documentos que atestavam a falta de condição de jogo de Cabrera.

No rastro da denúncia oferecida pelo advogado ao Comitê Disciplinar da Fifa, o Peru também acabou beneficiado com os três pontos da partida em que perdeu para a Bolivia (3 a 0), em 1 de setembro, na altitude de La Paz, pelo mesmo motivo. A Fifa declarou Chile e Peru vencedores dos dois confrontos por 3 a 0.

"O Cabrera é paraguaio e havia informações de que seu processo de naturalização pela Bolívia não estava correto. Investigamos e constatamos que ele não poderia ter atuado contra o Chile. Até porque ele já tinha jogado pelo Paraguai", disse Carlezzo, especialista em direito esportivo, em entrevista ao Terra.

Ele assinalou que a Bolívia pode apresentar recurso ao Comitê de Apelação da Fifa. "Os fatos parecem claros e dificilmente vão ser revertidos. Estamos respaldados pela legislação esportiva e esses dois pontos ganhos pelo Chile podem, ao final das eliminatórias,  garantir sua presença na Copa do Mundo da Rússia."

Com a decisão da Fifa, o Chile, agora em quinto, com 17 pontos, empurrou a Argentina (16 pontos) para a sexta posição. O Peru pulou para 11 pontos, mas ainda se manteve em oitavo. Já a Bolívia, antes com 9 pontos, ficou com quatro, mas também não alterou sua situação na tabela - permanece em nono lugar.

Veja também:

Flamengo encostou no Palmeiras! Confira o ranking de maiores campeões nacionais do Brasil
Fonte: Silvio Alves Barsetti
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade