PUBLICIDADE

Rafaela Silva perde para francesa e fica sem medalha no Mundial de Judô

27 ago 2014
Publicidade

A brasileira Rafaela Silva viu nesta quarta-feira o sonho de conquistar o bicampeonato frustrado com uma derrota nas quartas de final do Mundial de Judô de Chelyabinsk, na Rússia, e ficou sem medalha ao ser derrotada pela francesa Automne Pavia na disputa pelo bronze.

A jovem carioca de 22 anos perdeu a oportunidade de completar sua 'coleção' de medalhas em Mundiais, já que levou o ouro em casa no ano passado, no Rio de Janeiro, depois de faturar a prata em Paris, em 2011.

A outra medalha de bronze foi conquistada pela holandesa Sanne Verhagen, que superou a mongol Sumiya Dorsuren, algoz de Rafaela nas quartas de final. Quem ficou com o título foi a japonesa Nae Udaka, que derrotou na decisão a portuguesa Telma Monteiro, desclassificada após a tentativa de aplicar um golpe pegando a perna da adversária com o braço.

Pavia, de 25 anos, conseguiu a revanche da semifinal da última edição, quando foi derrotada por Rafa. Medalhista de bronze nos Jogos Olímpicos de Londres-2012, a francesa já tinha subido ao pódio em Chelyabinsk, quando também faturou o bronze no campeonato europeu de 2012.

O duelo deste ano foi bastante parelho, mas Pavia mostrou mais iniciativa e acabou vencendo no golden score.

Rafa foi a primeira a pontuar, ao aplicar um yuko num contragolpe logo no primeiro minuto de luta, antes de levar uma punição por falta de combatividade.

A francesa devolveu o yuko faltando um minuto e meio para o fim e chegou a ficar perto da vitória, mas também foi punida, o que deixou a luta empatada.

O golden score foi eletrizante. "Você quer a medalha? Vai ganhar p...", berrava a técnica brasileira Rosicleia Campos, que não parou de gritar um segundo durante a luta.

Já o treinador francês berrava: "pressione ela!".

Foi o que acabou acontecendo. Pavia foi mais ofensiva e acabou conquistando a medalha, para o desespero da brasileira.

"Estou muito feliz, foi um dia especial para mim. Só não sou a mais feliz do mundo porque não sou campeã mundial, mas acho que mereci a medalha", comemorou a francesa, que chegou a pensar em abandonar o judô depois de ficar fora do pódio no ano passado.

Os outros dois representantes do Brasil na categoria leve caíram logo na estreia. Medalhista de bronze nos Jogos Olímpicos de Pequim-2008, Keyleyn Quadros foi derrotada por Chen-Ling Lien, de Taiwan, por ter levado uma punição, em luta que não teve pontuação.

Na categoria até 73 kg, Alex Pombo, estreante em Mundiais, foi surpreendido pelo belga Dirk Van Tichelt, perdendo por imobilização no fim da luta.

O ouro ficou com o japonês Riki Nakaya, medalhista de prata nos Jogos de Londres-2012, que conquistou o bicampeonato mundial (depois de Paris-2011) ao vencer o surpreendente norte-coreano Huk Hyong Hong com um ippon espetacular.

Com um judô muito dinâmico, Hong, que ocupa apenas o 38º lugar do ranking, protagonizou uma grande zebra nas oitavas de final ao superar o francês Ugo Legrand, vice-campeão mundial no Rio de Janeiro.

Victor Svortov, dos Emirados Árabes Unidos, faturou o bronze, assim como o russo Musa Mogushkov, que levou ao delírio a torcida local.

O dia foi perfeito para o Japão, que conquistou as duas medalhas de ouro em disputa nesta quarta-feira, somando quatro em três dias, depois de Ami Kondo da categoria até 48 kg, e do tricampeão Masashi Ebinuma (até 66 kg).

Na estreia, Rafaela Silva venceu facilmente a eslovena Vlora Bedeti, que foi eliminada por levar quatro punições depois de sofrer um yuko.

Em seguida, ela aplicou mais um yuko na austríaca Tina Zeltner no final da luta para garantir a vitória enquanto já estava em vantagem por conta de uma punição da adversária.

Nas quartas de final, Rafaela viu o sonho do bi escapar por apenas uma punição. A brasileira sofreu duas punições contra apenas uma de Sumiya Dorjsuren no início da luta e acabou levando um wazari.

Faltando um minuto para o fim, a carioca conseguiu projetar a adversária, mas o árbitro deu apenas wazari. Rafaela, portanto, permaneceu em desvantagem e acabou perdendo a luta.

Na repescagem, ela superou a suíça Fabienne Kocher na repescagem ao aplicar um belo wazari com pouco mais de 30 segundos de luta, mas acabou perdendo para a francesa na luta pelo pódio.

Considerado um 'carro-chefe' nas ambições brasileiras para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016, o judô nacional vem decepcionando neste Mundial.

No ano passado, o Brasil já tinha conquistado uma medalha de cada cor depois de três dias de competição, o bronze com Sarah Menezes na categoria até 48 kg, a prata com Érika Miranda (até 52 kg) e o ouro com Rafaela (até 57 kg).

No total, foram seis medalhas conquistadas na competição individual do Rio de Janeiro, cinco do feminino (uma de ouro, duas de prata e duas de bronze) e apenas uma no masculino, com a prata de Rafael Silva, na melhor participação do país em uma edição de Mundial.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
Publicidade