PUBLICIDADE

África

Favoritar Time

Etiópia admite atleta irregular, e África do Sul volta a sonhar com Copa

18 jun 2013 12h05
| atualizado às 13h45
ver comentários
Publicidade

Última sede da Copa do Mundo, a África do Sul pode voltar a sonhar com uma vaga no Mundial de 2014, no Brasil. Após serem eliminados pela impossibilidade de atingir a primeira posição do Grupo A das Eliminatórias Africanas, o time ainda pode ter chance de se classificar. Isso porque, nesta terça-feira, o presidente da Federação Etíope de Futebol admitiu que a seleção local escalou o jogador Minyahil Teshome Beyene de maneira irregular na vitória contra Botsuana, devendo, assim, perder os três pontos conquistados na partida disputada no último dia 8 de junho.

Dessa forma, restando apenas uma rodada para o fim das eliminatórias, caso a Fifa confirme a punição, a África do Sul voltaria para a briga. A Etiópia, ao invés de 13, teria 10 pontos e estaria apenas dois à frente dos sul-africanos.

<a data-cke-saved-href="http://esportes.terra.com.br/infograficos/eliminatorias-copa-2014/iframe2.htm" href="http://esportes.terra.com.br/infograficos/eliminatorias-copa-2014/iframe2.htm">veja o infográfico</a>

Na rodada decisiva, marcada para 6 de setembro, a Etiópia visita a República Centro-Africana, lanterna do grupo e já eliminada, enquanto a África do Sul joga em casa com Botsuana. Como os botsuanos possuem quatro pontos, iriam a sete com a conquista dos pontos retirados da Etiópia, e também voltariam a ter chances de classificação.

"Não vamos apelar, foi negligência nossa. Nós aceitaremos punição da Fifa", declarou Minyahil Beyene, presidente da federação etíope em entrevista à Rede BBC, da Inglaterra, antes de completar: "cometemos um erro, mas estamos liderando o grupo e precisamos seguir focados. Podemos nos classificar".

Além da Etiópia, Togo e Guiné Equatorial, já eliminados, também estão sendo investigados por terem escalado jogadores irregulares. Caso as punições aconteçam, a seleção camaronesa, que está no grupo dos togoleses, se beneficiaria, ultrapassando Líbia e assumindo a liderança da Chave I das eliminatórias.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade