PUBLICIDADE

CBF explica que pausa do Brasileiro depende de decisão com os clubes

Ednaldo Rodrigues fez pronunciamento nesta sexta-feira em convocação da Seleção Brasileira para amistosos e Copa América

10 mai 2024 - 14h15
(atualizado às 14h15)
Compartilhar
Exibir comentários
Ednaldo Rodrigues, presidnete da CBF
Ednaldo Rodrigues, presidnete da CBF
Foto: Rafael Ribeiro/CBF / Esporte News Mundo

Por conta das fortes chuvas e enchentes no Rio Grande do Sul, o Campeonato Brasileiro pode ser paralisado. O presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, nesta sexta-feira, na sede da entidade, disse que a discussão sobre paralisar ou não a competição passa pelo conselho técnico de cada divisão nacional, formado pelos clubes.

- Muitos falam na suspensão e paralisação do futebol brasileiro. Todos são sensíveis a esta situação. Aquilo que chegar à CBF, tudo vai ser definido também por todo o conselho técnico de cada divisão, também comungando com as competições internacionais que os times disputam, como a Libertadores - afirmou.

Para tentar "acelerar" o processo, o ministro do esporte, André Fufuca, enviou um ofício à CBF, também nesta sexta-feira, pedindo a paralisação do Campeonato Brasileiro. No entanto, mesmo com esse pedido oficial, a decisão final é dos clubes.

O dirigente lembrou que parar as competições nacionais não significa uma paralisação do futebol brasileiro, já que existem equipes da elite que participam dos torneios da Conmebol, a entidade sul-americana. Entre eles, o Grêmio e o Internacional.

- Podemos parar toda a competição? Se sim, como faz com as competições internacionais que seguem? Entendeu? Até porque já estão se afunilando. Faltam duas rodadas para uma fase da Libertadores e também, se não me engano, da Sul-americana.

Diante disso, terá que ter uma votação dos clubes para paralisação. Entretanto, como se sabe, não existe este consenso entre os participantes. Entre os 20 integrantes da Série A, poucos apoiaram o pleito de Grêmio, Inter e Juventude. Há o entendimento de que paralisar o campeonato prejudicaria a todos. Mesmo entre os capitães dos times não houve esse apoio total.

Desta maneira, a CBF atendeu apenas aos pedidos da Federação Gaúcha. Ao todo, 42 partidas do masculino e feminino, além do sub-20, foram afetadas. As novas datas ainda não foram definidas. Mas a tendência é que sejam espalhados pelas datas Fifa.

- O poder da CBF não é um poder supremo e absoluto. É um poder limitado. Assim como fizemos a reunião de Conselho Tecnico com todos os clubes de Série A, Série B, Série C, Série D e de competições de base, nós faremos também, entendeu? A partir do momento que os próprios clubes entendam que tem que deliberar sobre esse assunto. No momento, nós estamos sintonizados diretamente através dos clubes do Rio Grande do Sul e a sua federação. E aquilo que foi solicitado dos clubes, através da Federação Gaúcha, a CBF atendeu integralmente, que foi exatamente o adiamento da competição até o dia 27 de maio. Tudo que acontecer daqui para frente, a gente vai ter que conversar também com os clubes e todas as divisões do futebol - completou Ednaldo.

Internacional, Grêmio e Juventude estão sem treinar, uma vez que as dependências dos clubes foram afetadas por conta das enchentes. Além disso, o Aeroporto Salgado Filho não receberá voos até o fim de maio.

Esporte News Mundo
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade