PUBLICIDADE

Santos diz aguardar Robinho e crê em definição nesta terça

29 jun 2015 20h41
| atualizado às 21h55
ver comentários
Publicidade

O presidente do Santos, Modesto Roma Júnior, assegurou não ter jogado a toalha pela permanência do atacante Robinho, que tem o contrato com o clube encerrado nesta terça-feira e é alvo do futebol chinês. O dirigente alegou, inclusive, aguardar pela reapresentação do camisa 7 na atividade marcada para o CT Rei Pelé, e acredita por uma definição sobre o futuro do atleta.

"Não temos novidades (sobre o Robinho), acredito que amanhã (terça) tenhamos. Estamos trabalhando para que fique, mas, como tenho dito, dentro dos limites do Santos", disse. "Ele é jogador do Santos até amanhã e deve se reapresentar como bom profissional que é, não vejo nenhum problema até a gente definir qual é a posição dele. Normal, vida que segue. Se não apresentar amanhã vai ser falta, mas não fará porque é um profissional correto", completou.

Robinho ainda tem permanência indefinida no Santos
Robinho ainda tem permanência indefinida no Santos
Foto: Ivan Storti / Divulgação

Robinho tem proposta do Guangzhou Evergrande, da China, time dirigido pelo técnico Luiz Felipe Scolari e que contratou o volante Paulinho. Modesto, mais uma vez, alegou que manteve o salário milionário do jogador na proposta de renovação e garantiu que o Santos não fará novos esforços para mantê-lo.

"O Santos continua pagando o salário que ele pediu e o salário que ele recebe. Não há diferença entre o que pediu e o que nós oferecemos", assegurou, antes de descartar uma nova investida: "não, a última proposta foi o que o Santos fez ao Robinho, não há mais nada".

Ronaldinho, Marinho, Robinho e Barrios? Presidente esclarece:

Robinho acertou no último mês a rescisão com o Milan, clube com o qual tinha contrato até junho de 2016. A permanência no Brasil dependia, principalmente, de o Santos pagar os sete meses de direitos de imagem atrasados ao camisa 7 e apresentar valores que o seduzissem a ficar. Apesar de ter cumprido e entregue a proposta a advogada do jogador, Marisa Alija Ramos, a resposta definitiva ainda não veio.

O jogador disse publicamente que não gostaria de reduzir o seu patamar salarial, atualmente em cerca de R$ 1 milhão mensais, para a renovação de contrato com o Santos alegando que poderia, inclusive, atuar por outros clubes brasileiros.

Cruzeiro e Flamengo, que surgiram como os potenciais rivais para mantê-lo, foram descartados. O Querétaro, do México, também entrou na briga, mas também deve perder a concorrência para os chineses.

 

 
Fonte: K.R.C.DE MELO & CIA. LTDA – ME K.R.C.DE MELO & CIA. LTDA – ME
Publicidade
Publicidade