PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

Icasa diz que CBF admitiu erro e confia que jogará a Série A

16 abr 2014 - 12h29
(atualizado às 13h04)
Compartilhar
Exibir comentários

Presidente do Icasa fala sobre liminar que leva time à Série A:
Com uma liminar garantindo a presença do Icasa na Série A, o presidente do clube cearense, Francisco Paz de Lira, foi à sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) nesta quarta-feira para participar da eleição do novo presidente da entidade. Os únicos times com direito a voto são os 20 que fazem parte da elite do futebol brasileiro. Mas apesar disso ele não vai votar. O prazo para a lista de quem tem direito a voto terminou ontem à noite.

Mesmo fora do pleito, Paz de Lira afirmou que defenderá a permanência do Icasa na primeira divisão e que deverá conversar com os dirigente da CBF durante a eleição. "O Icasa é portador do bom direito, estamos aqui para defender o clube. Estamos aqui para conversar com a CBF e ver o que nos garante". 

Para o presidente do Icasa, o caso da escalação irregular de Luan, pelo Figueirense, não pode ser considerado como uma infração que já prescreveu, pois foi um erro interno da CBF e do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) que não foi divulgado. "Foi uma denúncia anônima que nós tivemos: a notícia da infração do fato. A CBF reconhece que errou, não foi um erro publico, foi interno. A gente não tinha condição de saber no tempo que ocorreu...Ele (o caso de escalação irregular) só prescreve a partir do conhecimento. Não tinha como prescrever porque não tínhamos conhecimento", disse.

"O direito é nosso. Temos a liminar, temos o documento da CBF que aceita o erro no registro do atleta", completou o dirigente. A CBF estaria tentando casaar a liminar, levando-o para a 2ª Vara Cível do Rio de Janeiro, onde obteve sucesso em briga judicial com a Portuguesa. Apesar disso, o Icasa se mostra tranquilo. "O departamento jurídico vai agir com certeza se a liminar cair...Estamos buscando nosso direito".

A principal alegação da equipe cearense no caso se baseia nas punições aplicadas ao Flamengo e à Portuguesa, punidas na Série A com a perda de quatro pontos pelas escalações irregulares dos jogadores André Santos e Héverton, respectivamente, que resultaram no rebaixamento da Portuguesa à Série B e na permanência do Fluminense na Série A.

No caso do Figueirense, o meio-campista Luan foi colocado em campo na vitória por 4 a 2 sobre o América-MG no dia 28 de maio quando ainda não tinha contrato o clube de Florianópolis, mas com o Metropolitano-SC.

Fonte: Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade