1 evento ao vivo

Olha elas! Gêmeas do nado fazem joias e "melhor pão do mundo"

16 abr 2012
08h06
atualizado às 08h18
Flavio C. D'Almeida

As irmãs gêmeas Carolina e Isabela de Moraes, 32 anos, detêm o melhor resultado do nado sincronizado brasileiro em Jogos Olímpicos. Na Olimpíada de Sydney, em 2000, elas conseguiram a inédita classificação para a final nos duetos e terminaram na 12ª posição, feito repetido em Atenas 2004.

» Ronaldinho? Júlio César? Escolha quem você levaria para a Olimpíada
» Veja quais são os brasileiros classificados para Londres

Aposentadas do nado sincronizado, as duas estão fora do Brasil. Isabela mora em Las Vegas, onde se apresenta diariamente no espetáculo aquático Le Rêve - The Dream, e trabalha em uma padaria nos finais de semana. Ela estudou gastronomia nos Estados Unidos e se formou neste ano. Segundo sua irmã, "faz o melhor pão do mundo".

Carolina também trabalhou em apresentações aquáticas depois de se aposentar do esporte. Junto com a irmã, teve breve passagem pelo Cirque du Soleil, em 2005. Já na Dragone, companhia que organiza o espetáculo em que Isabela trabalha até hoje, as duas entraram em 2006, sendo que em 2010, Carolina saiu. No período, também morou em Las Vegas, onde deu início ao curso de joalheria, retomado no Japão.

Na entrevista concedida por telefone ao Terra, Carolina estava em Fukuoka, cidade na região sudoeste japonesa - ela acompanha o marido, que trabalha na parte técnica do Cirque du Soleil, nas turnês. "Estou há um ano e um mês (no Japão). Depois vou para os Estados Unidos e fico até novembro. E em dezembro começa a turnê europeia, que dura quase três anos", contou Carolina, que apesar de não dominar idioma, adora o país. "Gosto muito do Japão. Tem a dificuldade na comunicação, mas amo aqui."

Também entrevistada pelo Terra, Isabela está igualmente feliz onde mora, mas não acha a cidade tão agitada quanto à fama que a precede. "Moro há seis anos em Las Vegas. São Paulo é bem mais festiva. Aqui é super turístico. Claro que tem vários shows, tem festa, tem balada. Mas pra quem mora aqui até que é bem tranquilo. Eu estou bem tranquila também."

Mesmo longe uma da outra, as irmãs se comunicam frequentemente. "A gente se fala a cada cinco minutos, e as duas deixam o Skype ligado o dia inteiro, estamos em contato constante. Mas a gente morre de saudade uma da outra", disse Carolina. Isabela ressaltou a dificuldade de se separar da irmã depois de 30 anos dividindo quase tudo: "é bem difícil, sempre fizemos tudo juntas, na primeira vez que saímos de casa fomos morar juntas, trabalhamos aqui juntas, então foi bem difícil quebrar esse cordão umbilical".

Para amenizar a saudade, elas já têm planos de se reaproximarem. "No futuro queremos pelo menos morar na mesma cidade. A gente morre de saudade", disse Isabela, repetindo a frase da irmã.

Resultado injusto na Olimpíada
Apesar de se orgulharem das duas finais olímpicas que participaram, as irmãs concordam que deveriam ter obtido melhores resultados por considerarem injusta a avaliação que receberam, especialmente nos Jogos de Atenas.

Isabela: "a gente sempre ficou muito feliz com nossos resultados, mas eu sempre quis ir melhor, principalmente em Atenas. Fiquei muito feliz, mas acho que poderíamos ter ido melhor, então fiquei um pouco frustrada ao mesmo tempo. Acho que foi meio óbvio que deveríamos ter ido melhor, mas faz parte do esporte".

Carolina: "é uma competição enorme (Olimpíada). Na nossa primeira estávamos bem nervosas. Sempre fomos muito calmas e concentradas, mas em Sydney ficamos nervosas. E em Atenas, essa mesma enormidade da Olimpíada nos trouxe mais confiança, competimos bem, mas o resultado foi injusto. Era para termos ficado mais bem classificadas".

Lara e Nayara
As irmãs disseram estar muito animadas com os Jogos Olímpicos deste ano. Elas tentarão acompanhar ao máximo os acontecimentos em Londres e torcerão pelo dueto brasileiro de nado sincronizado, formado por Lara Teixeira e Nayara Figueira (ainda não se classificaram para o evento), que tem como um dos objetivos obter o melhor resultado brasileiro na modalidade.

Carolina: "elas estão mais do que certas, elas tem que olhar para frente. E elas treinam juntas faz tempo, já participaram de uma Olimpíada, então acho que conseguem sim (superar a 12ª colocação)".

Isabela: "eu espero que elas consigam, elas merecem, torço muito por elas e pelo nado do Brasil. Elas têm treinando muito, foram pra Rússia, o que é inédito, e treinaram com as melhores do mundo".

Londres 2012 no Terra

O Terra, maior empresa de internet da América Latina, transmitirá ao vivo e em alta definição (HD) todas as modalidades dos Jogos Olímpicos de Londres, que serão realizados entre os dias 27 de julho e 12 de agosto de 2012. Com reportagens especiais e acompanhamento do dia a dia dos atletas, a cobertura contará com textos, vídeos, fotos, debates, participação do internauta e repercussão nas redes sociais.

Fonte: Terra

compartilhe

publicidade
publicidade