PUBLICIDADE

Especialista em conteúdo estratégico explica sucesso digital de Douglas Souza: 'É um fenômeno'

Pedro Valério e Daniel Bortoletto, editor-chefe do site 'Web Volêi', analisaram o crescimento de Douglas Souza nas redes sociais

23 jul 2021 20h30
| atualizado às 21h38
ver comentários
Publicidade

Nesta quinta-feira, às 23h05 (de Brasília), a Seleção Brasileira masculina de vôlei estreia na Olimpíada de Tóquio diante da Tunísia. Dentro de quadra, o Brasil tem um dos melhores ponteiros do mundo e que recentemente se tornou sensação das redes sociais. Douglas Souza viralizou na internet mostrando os bastidores da vila olímpica de uma maneira despojada, e já soma quase 1,8 milhões de seguidores no Instagram, segunda maior marca entre atletas de vôlei.

Douglas Souza exibe a marca de 1,8 milhão de seguidores nas redes socias (Divulgação)
Douglas Souza exibe a marca de 1,8 milhão de seguidores nas redes socias (Divulgação)
Foto: Lance!

O crescimento do ponteiro na web é visível e impressionante. Antes da Olimpíada, Douglas Souza tinha cerca de 250 mil seguidores. Na última quarta-feira (21), ele alcançou a marca de 1 milhão de fãs na rede social. Além de divulgar a preparação da delegação brasileira para a Olimpíada, o jogador interage com fãs e se declara ao namorado, Gabriel Augusto Campos.

Para explicar a ascensão meteórica de Douglas Souza, o L! conversou com Pedro Valério, especialista em conteúdo estratégico e CEO da agência Allfluence. Ele explica que o marco do ponteiro é um fenômeno.

- Esse crescimento repentino do Douglas mostra o poder das redes sociais. É realmente um fenômeno que acontece na internet quando a gente fala de Trends. A Olimpíada é um assunto que, com certeza, está virando uma Trend. Ainda não, pois ainda está no início. Mas se repararmos, várias contas estão sendo criadas só para mostrar conteúdos dos Jogos Olímpicos. Quando o assunto é de relevância mundial, ele consegue ter um alcance diferenciado - começou.

- Dentro desses conteúdos sobre a Olimpíada, sempre tem um ou dois que disparam. O Douglas é diferente dos outros por estar lá dentro, ele consegue gerar gatilhos nas pessoas sobre exclusividade, curiosidade e escassez. A personalidade também é atrativa. Ele é engraçado, então já mostra de uma maneira diferente, não é aquela maneira institucional. Todas essas características vão se juntando e fazendo esse fenômeno acontecer. Se ganhar 500 mil seguidores em poucas horas não for um fenômeno, não sei mais o que é - cravou.

O especialista digital também explica o público atingido por Douglas Souza. Pedro Valério revela que a faixa etária dos seguidores do ponteiro são majoritariamente adultos.

- Hoje, o público dele está bem dividido. Ele tem 54% de seguidores masculinos e 46% de público feminino. Isso acaba não tendendo para nenhum lado, porque é um fenômeno que acabou de acontecer. Agora, com a personalidade dele e criando o conteúdo que ele quiser, o público vai começar a se direcionar para algum lado. Ou ele pode criar um conteúdo que agrade tanto o público feminino quanto o masculino - disse.

- O público dele é mais adulto. Hoje, a maior parte está na faixa etária de 21 a 43 anos. São quase 68% de seguidores que variam entre essas idades. O público de outras idades é bem menor. E 100% do público dele é brasileiro, então ele viralizou no Brasil, com pessoas que estão curiosas com a Olímpiada - completou.

Ele completa explicando quais fatores atraíram essa 'invasão' repentina de seguidores no perfil de Douglas Souza.

- O público, neste caso específico, foi atraído pela junção da personalidade e simpatia com a trend. A fake news da cama de papelão anti-sexo já atraiu uma curiosidade gigantesca. O Douglas veio sanando essa curiosidade filmando o quarto, em um assunto que naturalmente é uma Trend: a Olimpíada. Ainda mais em um ano de pandemia, onde ninguém está podendo acompanhar de perto os Jogos. Ou seja, ocorreu um empilhamento de 'hypes' para esse fenômeno acontecer - explica o especialista.

Editor-chefe do site 'Web Vôlei', Daniel Bortoletto também analisou o 'fenômeno Douglas'. Ele destaca a orientação recebida pelo ponteiro para se blindar de possíveis cobranças por más atuações em decorrência do uso da rede social.

- O que está acontecendo com o Douglas realmente é um fenômeno. Ele viralizou e em menos de 72h saltou de 300 mil seguidores para para 1,6 milhão de fãs no Instagram. Hoje, com essa marca ele é o segundo do ranking mundial de atletas de vôlei na questão social, perdendo apenas para o iraniano Saeid Marouf, que tem 1,9 milhão. Até o fim da semana o Douglas já vai ultrapassá-lo - afirma.

- O que me parece é que ele já foi bem orientado para que esse fenômeno de redes sociais não possa ser motivo de críticas. Nos últimos dias, ele deu uma reduzida na quantidade de postagens. O Douglas já até chegou a afirmar que sabe dividir muito bem o tempo de treino e a hora que pode ficar na rede social. Para quem está na Vila Olímpica e não pode se locomover pelas restrições da pandemia, o passatempo dos atletas é ficar no próprio quarto e usando a internet. O passatempo do Douglas acabou tendo uma exposição maior - pondera.

Daniel Bortoletto explica a importância do aconselhamento de pessoas envolvidas na carreira do ponteiro para lidar com o momento.

- Hoje, muita gente que não conhecia o Douglas Souza jogador, conhece o Douglas Souza influencer. Mas é um menino com uma cabeça muito boa, não imagino que terá problemas. Certamente, é importante que a supervisão da Seleção e das pessoas que cuidam da carreira do Douglas o aconselhem. Porque a questão do deslumbramento quando você deixa de ser uma "pessoa comum" - ele é campeão olímpico e de ponta mundial - para um fenômeno nas redes sociais existe. Mas acho que não terá problemas, já está bem instruído e saíra da Olimpíada muito maior do que quando entrou - conclui o editor-chefe do site 'Web Vôlei'.

*Estagiário, sob supervisão de Ricardo Guimarães.

Lance!
Publicidade
Publicidade