2 eventos ao vivo

Em apresentação, Rogério Ceni exalta ida ao Cruzeiro: 'É um momento mágico na carreira'

Treinador inicia trabalho no clube mineiro; estreia será contra o Santos, domingo, no Mineirão

13 ago 2019
15h59
atualizado às 17h53
  • separator
  • 0
  • comentários

Em uma concorrida entrevista na abarrotada sala de imprensa da Toca da Raposa II, em Belo Horizonte, vestindo azul e bastante à vontade, Rogério Ceni foi apresentado como novo técnico do Cruzeiro. Com contrato até dezembro de 2020, o novo comandante do time celeste foi paciente e atencioso para atender a tantas perguntas, algumas repetitivas, e se mostrou muito feliz com a oportunidade que recebeu para deixar o Fortaleza no último domingo. Já sem ele no comando, o time bateu o CSA por 2 a 0 e avançou no Brasileirão.

"Isso aqui é um momento mágico na carreira de qualquer pessoa. De poder chegar num clube como o Cruzeiro, bicampeão da Copa do Brasil. Temos esse jogo contra o Inter, em Porto Alegre, pela Copa do Brasil, com todas as dificuldades - perdeu em casa por 1 a 0. Talvez tenha sido um dos grandes fatos que tenha me trazido aqui. Não se joga fora a oportunidade de ser campeão quando se trata de Cruzeiro. Vamos tentar nos reencontrar nessa competição e, principalmente, no Campeonato Brasileiro", disse Ceni, explicando um dos motivos de aceitar a proposta cruzeirense. O time mineiro é 17º colocado no Nacional.

Rogério Ceni em seu primeiro dia de trabalho no Cruzeiro
Rogério Ceni em seu primeiro dia de trabalho no Cruzeiro
Foto: Cruzeiro/Divulgação / Estadão

Mais uma vez, o ex-goleiro do São Paulo fez questão de ressaltar as razões de ele não ter aceitado a proposta do rival Atlético-MG em abril, quando Levir Culpi foi demitido. "Eu nunca tive uma proposta (real) do Atlético-MG. O Rui Costa (diretor de futebol), uma vez, ligou pra mim e a situação era completamente distinta. Nós estávamos em meio a uma final de Campeonato Cearense e semifinal de Copa do Nordeste. Eu jamais deixaria a oportunidade de ser campeão. Não há preço para títulos. Eu jamais deixaria essa oportunidade (de ser campeão) passar e sair num momento como aquele", comentou apara justificar a possibilidade perdida de comandar o Atlético-MG.

Rogério Ceni sabe o tamanho da responsabilidade que terá em Minas Gerais. Mas preferiu ressaltar nesse começo a grandeza que é comandar o Cruzeiro. "Esse é um momento diferente, (deixei) o Fortaleza campeão cearense, campeão da Copa do Nordeste, numa posição boa na tabela de classificação do Brasileiro. Achei que era um momento para um grande desafio. Ficar no Fortaleza, acho que seria certo. As pessoas que acham que eu não deveria ter vindo, respeito a opinião. Vir para o Cruzeiro, se você disser que não é certo, eu diria que você está fora da curva", prosseguiu.

Antes da apresentação, o novo treinador deu o tom da primeira conversa que teve com o elenco em termos motivacionais. "O mais importante, e falei para eles, é que se sintam bem, felizes no clube. É um paraíso poder trabalhar num CT como esse. São extremamente valorizados, têm uma história aqui dentro já construída, a maioria deles, pelo menos. Quem já foi campeão, sabe o caminho. É questão de atitude, de foco mantido. Eles sabem como é chegar ao título. Quem ganhou uma vez na vida, não esquece o sabor. O sabor da vitória é incomparável", ressaltou.

FRED

Rogério Ceni não se omitiu de comentar a situação de Fred, centroavante que não marca gol há mais de 15 jogos. O técnico, que trabalhou com Gustavo e Welligton Paulista no Fortaleza, reencontrará o jogador que foi seu companheiro de seleção brasileira na Copa do Mundo de 2006, na Alemanha.

"Um jogador de área, apesar de saber fazer bem a proteção. Tem boa finalização. Vamos trabalhar com ele igual a um garoto de 20 anos, fazer com que tenha o espírito cada vez mais jovem e tirar o melhor dele. Qualidade eu sei que ele tem. O tempo passa para todos e não é fácil se manter bem fisicamente. Mas vou dar, neste começo de trabalho, prioridade para quem tenha condição física. Vou torcer para que ele esteja bem. É um camisa 9 clássico, de área, e espero que o Fred possa ajudar bastante", disse.

Sua estreia no Cruzeiro será neste domingo contra o Santos, líder do Campeonato Brasileiro, no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte. Rogério Ceni pede a ajuda da torcida. "O que pode fazer a diferença neste jogo é justamente a força da torcida. O tempo de preparação para o time é curto, os atletas têm o talento individual, têm o conjunto do passado. Vamos tentar melhorar. A cada semana esse time tende a jogar da maneira que eu gosto. Mas o torcedor, sem dúvida nenhuma, é o que pode mover esses atletas para vencer uma equipe que, pra mim, é uma das mais ajustadas, das melhores, que jogam um futebol mais envolvente do País", afirmou.

Sobre a crise administrativa do Cruzeiro e o risco de ela interferir dentro de campo, o técnico acredita que isso não terá influência. "Pelo que vi hoje (terça-feira), pela maneira que vi os jogadores, vejo um ambiente extremamente saudável de futebol. Eu sou técnico do Cruzeiro, minha função é dentro das quatro linhas. Não vi absolutamente nada que pudesse provocar uma reação diferente dos atletas. Vamos trabalhar todos os dias. São coisas distintas, eu acho. E também, honestamente, estou chegando agora, não tenho uma noção exata do que se passa. Mas vamos trabalhar com futebol, dentro do campo, preocupado com resultados. E com o futebol, tentando jogar um futebol cada vez melhor", disse.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade