1 evento ao vivo

Torcedores tentam invadir hotel do Corinthians em Maceió

Jogadores e comissão técnica foram alvos de protestos após derrota por 2 a 1 para o CSA

31 out 2019
10h23
atualizado às 11h39
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Torcedores do Corinthians tentaram invadir o hotel em Maceió onde a delegação estava hospedada horas após a derrota para o CSA por 2 a 1 pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. Em São Paulo, os muros do Parque São Jorge foram pichados cobrando jogadores e diretoria pela sequência de sete jogos sem vitória e pedindo a saída do técnico Fábio Carille.

Mateus Vital, jogador do Corinthians, lamenta a derrota por 2 a 1 para o CSA
Mateus Vital, jogador do Corinthians, lamenta a derrota por 2 a 1 para o CSA
Foto: ITAWI ALBUQUERQUE/AGIF / Estadão Conteúdo

Na capital alagoana, cerca de 30 torcedores foram contidos pelos seguranças do clube em frente ao hotel. Eles protestavam contra o fraco desempenho da equipe e chegaram a arremessar grades de proteção contra o vidro da fachada para forçar a entrada. Ninguém se feriu. A confusão começou quando o policiamento que fez a escolta do ônibus foi embora. O desembarque dos jogadores aconteceu sem problemas. Havia poucos torcedores no momento, que cobraram raça de jogadores como Gil, Fagner e Danilo Avelar.

A delegação volta nesta quinta-feira para São Paulo e a diretoria prepara forte esquema de segurança desde a saída de Maceió até a chegada ao Centro de Treinamento Joaquim Grava, onde os atletas farão treino regenerativo.

Em São Paulo, os muros do Parque São Jorge foram pichados também em protesto pelos maus resultados. "Time sem alma", "Acabou a paz", "Fora Carille" e "Andrés noia", foram algumas das frases escritas. "O Sport Club Corinthians Paulista lamenta a depredação do patrimônio do clube e informa que irá providenciar os devidos reparos", informou o clube em nota à imprensa.

O Corinthians enfrenta a pior sequência sem vitórias desde que Fábio Carille assumiu o time pela primeira vez, em 2017. São sete partidas no total. O estopim da crise aconteceu após a derrota por 2 a 1 para o CSA, clube que está na zona de rebaixamento no Campeonato Brasileiro. O time volta a campo no domingo para enfrentar o líder Flamengo no Maracanã na tentativa de retomar um lugar no G-6 da competição.

Veja também:

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade