3 eventos ao vivo

Love evita comparações e diz que Corinthians não tem que mudar jeito de jogar

21 set 2019
09h03
atualizado às 09h03
  • separator
  • 0
  • comentários

Vagner Love participou da jornada corintiana em 2015. Terminou o ano como artilheiro e campeão Brasileiro em um dos melhores times que a competição nacional já teve. Sob o comando de Tite, aquele Corinthians não só levou a taça como superou os rivais nas estatísticas mais relevantes para a disputa. A equipe era reconhecida pelo equilibrado, firme atrás e agressivo na frente.

Por conta disso tudo, talvez, Vagner Love, que voltou ao Timão para a temporada 2019, entende que não se deve fazer comparações entre a atual campanha e aquela vivida há quatro anos.

Vagner Love foi artilheiro de um Corinthians que encantou em 2015 (Foto: Rodrigo Gazzanel/Ag Corinthians)
Vagner Love foi artilheiro de um Corinthians que encantou em 2015 (Foto: Rodrigo Gazzanel/Ag Corinthians)
Foto: Gazeta Esportiva

"No início do ano fomos eliminados no Paulista, Copa do Brasil e Libertadores. Tivemos uma pressão muito grande naquele ano, mas nos juntamos e sabíamos que tínhamos condição de conquistar algo. Nos entrosamentos, os jogadores estavam numa fase muito boa, Renato Augusto, Jadson, Ralf, Elias, e conquistamos um título jogando muita bola e fazendo muitos gols", comentou.

"Cada ano é uma situação diferente. Nesse ano, tinha mais de 15 jogadores contratados, isso dificulta o trabalho do treinador. Tem lesão, cartão e pouco tempo para trabalhar. O time de 2015 foi exceção. Nesse ano conquistamos o Paulista, estamos na semifinal da Sul-Americana e no G-5 do Brasileiro. Mostra a evolução que tivemos".

A declaração de Love foi dada mesmo após a derrota vexatória para o Independiente del Valle em plena Arena Corinthians e na mesma semana do revés para o Fluminense. Os últimos resultados, porém, não parecem tirar a crença do experiente jogador de que o Corinthians está no caminho certo.

"Se a questão tática tem que mudar? Não, é fazer o que a gente faz sempre. Criamos uma maneira de jogar nesta temporada", opinou.

"Em 2017, foi campeão brasileiro e se defendia muito bem, ficava com a bola, ganhava de 1 a 0, 2 a 1, e foi campeão. Corinthians tem identidade de se defender bem, sair em contra-ataque, e assim foi campeão nos últimos nove ou dez anos. Quando se cria uma maneira de jogar, tem que fazer isso. Assim podemos ser campeões das competições que estamos disputando", concluiu.

Nesse sábado, o Corinthians enfrenta ao Bahia, às 19h, em Itaquera. Na quarta-feira que vem terá de ir à Quito tentar reverter a vantagem dos equatorianos.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade