0

Diretor na "Democracia Corinthiana", pai de Duílio avisa: "Eu vou estar com ele"

29 nov 2020
08h09
atualizado às 08h18
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Adílson Monteiro Alves, pai de Duílio, presidente eleito pelos sócios do Corinthians neste sábado, foi vice de futebol e diretor de futebol na década de 80, quando o clube alvinegro entrou para a história com a criação do movimento "Democracia Corinthiana".

Em entrevista exclusiva à TV Gazeta, Adílson avisou que fará parte da gestão do filho, mesmo sem ser nomeado para qualquer cargo.

"Eu vou estar com ele. Me convidou, aceitei, vou ajudá-lo. Ele é equilibrado, é calmo. Primeiro conselho: união. Duas palavras chaves: união e democracia. União! Unir o Corinthians e trabalhar democraticamente".

"Eu vou ajudar no que ele precisar. Eu, desde que saí do Corinthians (como dirigente), recebi alguns convites. Nunca pude aceitar, e outras não quis, mas é meu filho, pô. Não tem como… É uma honra".

O Corinthians também teve o avô de Duílio, Orlando Monteiro Alves, nos cargos diretivos do departamento de futebol na época da conquista do emblemático título Paulista de 1977. O cenário mexeu com Adílson enquanto ele deixava o Parque São Jorge, já no início da madrugada.

"Em primeiro lugar, honrado e muito feliz. Eu tive o privilegio de ajudar o Corinthians, meu pai ajudou o Corinthians, o Duílio ajudou muito o Corinthians, chegou à presidência. Estou muito orgulhoso".

"Ele é capaz. O Duílio nasceu aqui, literalmente, nesse prédio, do outro lado da rua (disse, apontando). Ele foi sócio do Corinthians, remido. No dia seguinte que eu fui registrar (o nascimento). Viveu com meu pai aqui, comigo aqui, e nos últimos anos fez um grande trabalho, junto com Andrés. Ele está pronto".

Ao lado do pai, do irmão Adriano Monteiro Alves, que se elegeu conselheiro também neste sábado, e do filho, Duílio se mostrou mexido com a situação.

"Muita emoção, muita responsabilidade, não caiu a ficha ainda, mas é um prazer saber que preparei uma vida inteira para esse momento".

"Meu avô, Orlando Monteiro Alves, meu pai, hoje estou com meu filho aqui, que é Orlando Monteiro Alves. É uma emoção muito grande, uma responsabilidade muito grande, pelo nome que carrego, principalmente pelos quase 40 milhões de torcedores".

Questionado sobre os planos da gestão para o futebol, Duílio evitou antecipar seus primeiros passos como presidente.

"Corinthians vai ser transformado. Vamos mudar o clube para esse mundo atual, digital e, principalmente, o Corinthians vai estar sempre brigando lá em cima, por títulos, como sempre foi nesses últimos anos, mas com muita responsabilidade, com uma nova administração, uma administração bem moderna".

"Não quero falar ainda sobre isso (mudanças no futebol), primeiro respirar, descansar um pouco. Foram três anos no futebol, mais dois, três meses de campanha. Primeiro, respirar, e depois nós vamos conversar com todas as alas do clube, as concorrentes, para a gente unir o clube, estar mais forte nos próximos anos".

Duílio venceu a eleição com 1.081 votos. Augusto Melo veio em seguida, com 939, e Mário Gobbi Filho recebeu 788 votos.

Em 4 de janeiro, o 31º presidente do Corinthians tomará posse e sucederá Andrés Sanchez para um mandato de três anos.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade