PUBLICIDADE
Logo do

Corinthians

Meu time

​​Declaração contra Sylvinho aumenta lista de polêmicas de Marcelinho Carioca

23 out 2021 05h20
| atualizado às 05h20
ver comentários
Publicidade

Um dos maiores ídolos do Corinthians, Marcelinho Carioca foi assunto no clube nesta semana por conta de críticas ao técnico Sylvinho e jogadores do Timão. Na sexta-feira, o lateral Fábio Santos admitiu em entrevista coletiva um incômodo do elenco com as declarações do ex-jogador. A polêmica, no entanto, não é a primeira do "Pé de Anjo".

Marcelinho já gerava repercussão fora de campo quando era atleta. Já em sua segunda passagem pelo Corinthians, de 1998 a 2001, o camisa 7 protagonizou brigas e discussões com o colombiano Freddy Rincón, capitão da equipe na época.

Outro desentendimento teria acontecido com Ricardinho, outro ídolo corintiano. Entre 200 e 2001, foi veiculado um boato de que Marcelinho considerava o meia um "traíra" por passar informações aos técnicos Vanderlei Luxemburgo e, posteriormente, Oswaldo Brandão. A polêmica teria terminado com um atrito entre o jogador e a diretoria, que optou por afastá-lo. Na sequência, o "Pé de Anjo" acabaria assinando contrato com o rival Santos.

Ainda em sua segunda passagem pelo Corinthians, Marcelinho Carioca discutiu com Luxemburgo publicamente. O treinador afirmava que o comandado era frequentemente visto com mulheres na concentração.

A última polêmica de Marcelinho como jogador do Corinthians foi em 2006. Em sua terceira e última passagem pelo clube, o camisa 7 disputou apenas cinco partidas e teve seu contrato rescindido com a chegada do técnico Emerson Leão, que não queria trabalhar com o meia-atacante.

Já com as chuteiras penduradas, Marcelinho Carioca passou a colecionar polêmicas por conta de política. Em 2012, o ex-atleta fazia campanha eleitoral para vereador em São Paulo e utilizou um vídeo de Tite, então comandante do Corinthians, pedindo votos. Na época, o treinador pediu a retirada das imagens e disse ter sido enganado.

Já no ano passado, Marcelinho vestiu uma camisa do Timão em encontro com o Presidente da República Jair Bolsonaro, que também usou o uniforme. Dois anos antes, Bolsonaro comemorou o título brasileiro do Palmeiras no Allianz Parque.

Por fim, Marcelinho Carioca reclamou do técnico Sylvinho e questionou o desempenho dentro de campo de Cássio e Giuliano em live organizada pela TV oficial do Corinthians. Dois dias depois, Fábio Santos falou sobre as críticas e revelou uma chateação por parte do grupo.

É natural que essas coisas cheguem até a gente, por mais que a gente procure ficar afastado. Quase não vejo redes sociais, tem muita coisa negativa. Sobre esses dois ídolos, são caras respeitados dentro do clube. Para mim, o Marcelinho, se não é o maior, é um dos maiores ídolos da história do clube. Não vejo maldade da TV do clube em abrir espaço para esse tipo de coisa, acho válido abrir espaço para ex-jogadores, ainda mais esses que têm o respeito do torcedor, que acaba escutando. A palavra destes caras é muito valiosa", afirmou Fábio.

"Quando abre espaço, não imagina que virão críticas, e críticas pesadas. Quando é normal, a gente entende, gosta daquele (jogador) e não gosta deste. Mas a gente fica triste, são ex-profissionais que passaram pelo Corinthians, que sabem como é o dia a dia. E, num momento de pressão, acaba saindo um pouco do tom. A gente fica triste por usarem esse tipo de crítica, de palavreado. Mas não tem como agradar a todos, é dentro de campo que podemos dar uma resposta positiva, voltar a ganhar. Espero que a gente possa trazer o torcedor para o nosso lado novamente e também que esses ídolos possam, quem sabe um dia, lembrar do que viveram lá atrás e falar bem da gente novamente", completou.

Marcelinho Carioca é o segundo jogador que mais título levantou pelo Corinthians. Além dos Campeonatos Paulistas de 1995, 1997, 1999 e 2001, o meia-atacante também faturou a Copa do Brasil de 1995, os Campeonatos Brasileiros de 1998 e 1999 e o Mundial de 2000.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade