PUBLICIDADE
Logo do

Ceará

Favoritar Time

Torcida lembra Eduardo Baptista do clima do título de 2008

3 abr 2014 - 02h02
Ver comentários
Publicidade

Ex-preparador físico do Sport, Eduardo Baptista assumiu o comando do time a apenas dois meses e já tem a chance de conquistar o título da Copa do Nordeste. Após a primeira partida da final, diante do Ceará, ele fez questão de agradecer à torcida rubro-negra e garantiu: “quando nós entramos no campo foi um calor muito grande. Fiquei novamente espantado. A última vez que eu vi a Ilha (do Retiro) assim foi em 2008. A torcida empurrou o time o tempo todo e grande parte dessa vitória de hoje se deve a eles”, afirmou, se referindo à final da Copa do Brasil, diante do Corinthians.  

Mais de 27 mil torcedores encheram a Ilha do Retiro e fizeram Eduardo Baptista lembrar das finais da Copa do Brasil
Mais de 27 mil torcedores encheram a Ilha do Retiro e fizeram Eduardo Baptista lembrar das finais da Copa do Brasil
Foto: Eduardo Amorim / Brisa Comunicação e Arte - Especial para o Terra

Questionado se teria lembrado do seu pai, Nelsinho Baptista (campeão da Copa do Brasil pelo Sport em 2008 como treinador), ao comemorar o primeiro gol, marcado por Neto Baiano, o treinador disse que não teve tempo nem mesmo para isso. “O que me passou é estar vivendo um momento desses aqui no Sport e ver um gol acontecendo numa jogada que nós pontuamos com os atletas, então é a emoção de ter feito um gol e dado tudo certo”. Ele garantiu ter falado com o lateral-esquerdo Renê e com o meia Ananias, que cruzou a bola, sobre esse tipo de cruzamento para a conclusão do centroavante.

Sobre a partida, Eduardo tem um discurso crítico, apesar do resultado positivo. “Nós fizemos um bom primeiro tempo, mas eu achei que a gente demorou para entrar no jogo. Da metade para o final nós começamos a jogar e no segundo tempo nós voltamos e de novo abdicamos de jogar. Eu tinha alertado aos atletas, então eu tive que acertar com a entrada do Rithely e tanto ele como depois o Danilo entraram bem”.

O treinador fez questão de pontuar que suas alterações foram fundamentais para a melhoria do time na segunda etapa e que a expulsão do volante João Marcos, do Ceará, foi por causa de uma falta em cima do Rithely e o segundo gol do Sport foi marcado por Danilo. Ele cita justamente os dois atletas que entraram na etapa final, além deles Sandrinho também chegou a sair do banco de reservas quando a partida já estava 2 a 0.

Para o próximo domingo, quando o Sport enfrenta o Santa Cruz pelas semifinais do Pernambucano, Eduardo Baptista afirma só querer utilizar os jogadores que estiverem em totais condições físicas. Para o jogo de volta da Copa do Nordeste ele perdeu Danilo, que tomou o terceiro amarelo após a comemoração do gol. Mas o técnico prefere não adiantar como entrará em campo.

 

Fonte: Brisa Comunicação e Arte - Especial para o Terra Brisa Comunicação e Arte - Especial para o Terra
Publicidade
Publicidade