3 eventos ao vivo
Logo do Seleção Brasileira
Foto: terra

Seleção Brasileira

Tite admite desempenho abaixo do Brasil em "jogo da amizade"

Seleção venceu a Arábia Saudita por 2 a 0 nesta sexta-feira (12)

12 out 2018
18h30
atualizado às 18h38
  • separator
  • 0
  • comentários

A Seleção Brasileira não confirmou a expectativa de goleada e venceu o amistoso contra a frágil Arábia Saudita por apenas 2 a 0, na tarde desta sexta-feira, em Riade. Após a partida, o técnico Tite admitiu o desempenho abaixo de seus comandados.

"Desde o início ela (Seleção Brasileira) não teve o desempenho que imaginávamos. Ela teve um desempenho técnico abaixo. Ela joga mais, produz mais, compete, tem um nível de concentração maior, mas esteve abaixo", avaliou o treinador.

Após desperdiçar chances, o Brasil só abriu o placar aos 42 minutos do primeiro tempo, quando Gabriel Jesus aproveitou grande passe de Neymar. Alex Sandro, de cabeça, ampliou nos acréscimos da etapa final.

Tite admitiu desempenho abaixo do esperado contra a Arábia Saudita
Tite admitiu desempenho abaixo do esperado contra a Arábia Saudita
Foto: Waleed Ali / Reuters

Embora não tenha sido muito ameaçada, a Seleção errou passes e ofereceu oportunidades aos sauditas, que não as aproveitaram. Tite, contudo, elogiou a atuação defensiva da equipe canarinho. "O que teve de normal foi quando ela conseguiu neutralizar as jogadas de velocidade da Arábia", afirmou.

O comandante aproveitou a fragilidade do adversário para fazer alguns testes. A linha defensiva, por exemplo, foi formada por Fabinho, Marquinhos, Pablo e Alex Sandro, todos jogadores considerados reservas. As experiências, segundo Tite, prejudicaram o desempenho da Seleção.

"Quando você mexe com a estrutura básica da equipe e começa a colocar jogadores, eles não têm os links, as aproximações e as triangulações dos setores, mas serve para essas observações", explicou.

Por fim, Tite ainda reconheceu que o nível de competitividade do amistoso estava baixo, a ponta de ter compaixão com o goleiro Al-Owais, expulso no segundo tempo por ter defendido com a mão um chute fora da área.

"O nível de competitividade estava baixo. Jogamos contra uma seleção anfitriã, contamos com o carinho de seu torcedor. Isso traz um jogo mais amigável. Na hora da expulsão, dei um abraço no goleiro. Se dependesse de mim não seria expulso. Não é justificativa, porque ela produziu abaixo, mas a atmosfera do jogo não foi aflorada. Foi um jogo da amizade, de amigos", concluiu.

Na próxima terça-feira, às 15 horas (de Brasília), em Jidá, ainda na Arábia Saudita, a Seleção Brasileira não terá um jogo da amizade. O adversário desta vez será a Argentina.

Veja também:

 

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade