0
Logo do Seleção Brasileira
Foto: terra

Seleção Brasileira

Senegal botou Seleção Brasileira na roda

Com um futebol leve e vistoso, Senegal parecia o Brasil de outros tempos

10 out 2019
11h43
atualizado às 11h49
  • separator
  • 0
  • comentários

Em mais um resultado frustrante, a Seleção brasileira apenas empatou com o Senegal por 1 a 1, na manhã desta quinta, em Cingapura, na Ásia. Mais do que isso, o jogo mostrou um domínio do time africano que, muitas vezes, envolveu a equipe comandada por Tite, com triangulações e tabelas bem organizadas e dribles e toques surpreendentes. 

Lance entre Firmino (Brasil) e Kalidou Koulibaly e Salif Sane, do Senegal
Lance entre Firmino (Brasil) e Kalidou Koulibaly e Salif Sane, do Senegal
Foto: Feline Lim / Reuters

Foi o terceira partida seguida da Seleção sem nenhuma vitória – antes, empatou com a Colômbia (2 a 2), e perdeu para o Peru (1 a 0). Uma sequência negativa assim não ocorria desde 2013. Mas, daquela vez, a equipe esbarrou em adversários muito mais fortes — Inglaterra, Itália e Rússia.

Quem visualizasse o amistoso numa tela preta e branca poderia supor que o time pentacampeão mundial, de camisa amarela, estivesse representado pelos africanos. Com um futebol leve e vistoso, dribles curtos e a criação constante de ataques perigosos, com boas finalizações, Senegal parecia o Brasil de outros tempos.

Não é de hoje que a Seleção perdeu sua sede de atacar e fazer gols. Em Cingapura, para se ter uma ideia disso, só deu dois chutes a gol no primeiro tempo – um deles resultou no bonito gol de Firmino. O outro só veio nos acréscimos, com Neymar.

O empate com Senegal representou o segundo tropeço do Brasil em partidas contra seleções africanas. Ao todo, houve 36 confrontos. Até o início desta manhã – já noite em Cingapura -, tinham sido 34 vitórias dos brasileiros contra apenas uma derrota, em 2003, para Camarões, pela Copa das Confederações disputada na França.

No domingo, o Brasil volta a campo para enfrentar a Nigéria, às 9 horas de Brasília. Novamente, a partida será realizada no Estádio Nacional de Cingapura.

Veja também:

 

 

Fonte: Silvio Alves Barsetti
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade