PUBLICIDADE
Logo do

Seleção Brasileira

Meu time

Marquinhos assegura: 'Nunca negamos vestir essa camisa'

Por outro lado, o zagueiro destacou que a Seleção aguardará o que será decidido.

9 jun 2021 00h02
| atualizado às 00h21
ver comentários
Publicidade

Na noite desta terça-feira, a Seleção Brasileira venceu o Paraguai por 2 a 0, no estádio Defensores del Chaco, em partida válida pelas oitava rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo do Qatar. Mesmo com o a vitória, o assunto não poderia ser outro senão a realização da Copa América no Brasil.

Após o jogo, o zagueiro Marquinhos, que foi capitão diante do Paraguai, destacou que em "momento algum" os jogadores se negaram de vestir a camisa da Seleção Brasileira. Ele ressaltou que existe uma hierarquia e que "vão ver" o que será decidido.

"A gente sabe de todo o contexto da Copa América. Então, creio que ele foi muito discutido nesses últimos dias internamente e externamente, a gente vê tudo o que as pessoas falam mesmo sem saber da verdade dos fatos. Mas a gente deixa claro que em momento algum os jogadores negaram de vestir essa camisa, porque isso aqui é o nosso sonho de criança, onde a gente via todos na televisão e sonhava um dia estar aqui e hoje a gente está."

"Então, é o maior orgulho para a gente estar vestindo essa camisa da Seleção Brasileira. A partir de agora, a gente fez o que tinha que fazer nesses dois jogos que era nosso foco no momento. A partir de agora a gente vai ver o que será decidido. Nós sabemos o que todos vem falando, sabemos que existe uma hierarquia, nós somos jogadores. A gente é ciente do nosso papel, é um papel importante, mas só que deixar bem claro que em nenhum momento negamos de vestir essa camisa aqui."

Dentro das quatro linhas, Marquinhos comemorou o 100% de aproveitamento do Brasil nas Eliminatórias. Ele lembrou que a Seleção não vencia o Paraguai em Assunção há 35 anos, elogiou a equipe adversária e afirmou que este foi um jogo de detalhes.

Marquinhos é zagueiro do Brasil (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)
Marquinhos é zagueiro do Brasil (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)
Foto: Lance!

"Esse era o objetivo e o que a gente veio buscar aqui e graças ao bom trabalho, creio que a gente fez um excelente jogo. Sabemos da dificuldade que é ganhar aqui. Historicamente, o Brasil desde 1985 que não havia conseguido uma vitória aqui. E foi isso que a gente veio buscar e, hoje, estamos feliz de abrir esses pontos importantes na ponta da tabela contra o segundo colocado e foi uma vitória importante."

"Foi uma partida de alto nível, gostei muito da Seleção do Paraguai é cresceu muito nos últimos tempos. A gente vê a colocação na tabela onde que eles estão. Então, era um jogo de detalhes. A gente conseguiu ver esse gol no primeiro tempo, logo no começo e que isso nos dá uma tranquilidade muito maior de trabalhar a bola, de ter mais segurança, e o Paraguai tendo que sair para buscar o resultado. A gente conseguiu matar o jogo no final."

Relembre o caso

O site GE revelou que os jogadores da Seleção Brasileira divulgarão em conjunto um manifesto contra a Conmebol. O objetivo principal é deixar claro a insatisfação com todos os problemas da entidade na organização da Copa América no Brasil.

O site ainda revelou que os atletas estão insatisfeitos pela forma como o agora presidente afastado da CBF Rogério Caboclo conduziu a situação. Ele estava na Granja Comary no domingo e não tratou da possibilidade trazer a Copa América para o Brasil, que aconteceria no dia seguinte.

Caboclo também causou constrangimento no vestiário da Seleção quando fez um discurso que foi classificado como "inflamado". O ambiente se tornou insustentável. Caboclo, inclusive, sugeriu que ninguém falasse publicamente, o que não aconteceu. Após a partida contra o Equador, Casemiro destacou que todos sabiam da posição do grupo e que eles tinham a vontade de se manifestar.

"Todo mundo já sabe qual é o nosso posicionamento, mas não vamos falar desse assunto. Nosso posicionamento todo mundo sabe. Mais claro impossível. Tite deixou claro para todo mundo qual é o nosso posicionamento e o que nós pensamos da Copa América. Existe respeito, existem hierarquias que temos que respeitar. Claro que queremos dar a nossa opinião, rolaram muitas coisas, mas existe respeito", disse Casemiro, que ainda completou.

"Nós iremos falar. O Tite explicou qual foi a situação. O Tite, realmente, o que ele falou, eu como capitão e como líder dos jogadores, rolou isso mesmo, nós nos posicionamos, nós queremos falar e em um momento oportuno nós iremos falar. Não sou eu, não são os jogadores da Europa, como rolou coisas, mas quando fala alguém, fala o grupo, falam todos os jogadores, com o Tite e com a comissão técnica, tem que ser unanime, tem que ser todos juntos."

 

Lance!
Publicidade
Publicidade