1 evento ao vivo
Logo do Seleção Brasileira
Foto: terra

Seleção Brasileira

Edu Gaspar troca a seleção brasileira pelo Arsenal

Coordenador vai deixar suas funções na CBF depois da Copa América, apesar de ter contrato até 2022

7 mai 2019
18h05
atualizado às 18h37
  • separator
  • 6
  • comentários

Edu Gaspar vai deixar a seleção brasileira depois da Copa América. Ele aceitou a proposta do Arsenal, para ser diretor de futebol do clube inglês. Na CBF desde junho de 2016, quando assumiu a coordenação das seleções, Edu tem contrato até o fim da Copa do Mundo do Catar, mas decidiu aproveitar a oportunidade de trabalhar no futebol europeu.

A informação da saída de Edu Gaspar da CBF foi publicada inicialmente pelo blog do jornalista Juca Kfouri. Nem o coordenador nem a CBF confirmam. Oficialmente, Edu insiste que está com foco na Copa América, que será realizada nos meses de junho e julho no Brasil, e lembra que seu contrato com a entidade vai até 2022. Mas não é veemente na negativa.

Edu Gaspar falou sobre a possibilidade de amistosos em solo nacional
Edu Gaspar falou sobre a possibilidade de amistosos em solo nacional
Foto: Pedro Martins / MoWa Press

Ele sempre demonstrou interesse em trabalhar no futebol europeu. No Arsenal, tem bom trânsito e é bastante respeitado. Edu jogou no clube londrino entre 2001 e 2005. Teria comunicado que deveria o cargo na CBF ainda no mês de março, antes de Rogério Caboclo assumir a presidência da entidade.

Sua saída poderá criar uma disputa na cBF, justamente por causa do substituto. Tite teria preferência por Duílio Monteiro Alves, atual diretor de futebol do Corinthians e com quem ele trabalhou no clube paulista.

Mas Caboclo não está disposto a aceitar, por dois motivos. Um deles é que Alves é ligado a Andrés Sanchez, dirigente que faz oposição à CBF. O outro é que o presidente da CBF quer dar cada vez mais espaço a ex-jogadores na entidade.

Por isso, entende que o coordenador deva ser um ex-atleta com bastante conhecimento de campo e experiência em gestão. Isso o levou, por exemplo, a contratar Juninho Paulista como diretor de desenvolvimento da entidade, além de manter Branco na função de coordenador da base.

Veja também:

Estadão
  • separator
  • 6
  • comentários
publicidade