PUBLICIDADE
Logo do

Botafogo

Meu time

Ex-presidente vê "maior estelionato eleitoral" do Botafogo

Carlos Eduardo Pereira faz duras críticas à atual diretoria do clube, não entende função de CEO e promete que cobrará dirigentes alvinegros

20 jul 2021 23h46
| atualizado em 21/7/2021 às 00h59
ver comentários
Publicidade

A derrota do Botafogo para o Goiás, na noite desta terça-feira, pela 13ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, trouxe duras críticas à gestão de Durcesio Mello no time carioca. Por meio de sua página no Instagram, Carlos Eduardo Pereira, presidente do clube entre 2015 e 2017, teceu comentários negativos para o atual mandatário.

Carlos Eduardo Pereira foi presidente do Botafogo entre 2015 e 2017 (Foto: Vítor Silva/Botafogo)
Carlos Eduardo Pereira foi presidente do Botafogo entre 2015 e 2017 (Foto: Vítor Silva/Botafogo)
Foto: Lance!

"O que estamos assistindo hoje em apenas sete meses de gestão desse grupo, que se apresentou como os detentores da modernidade, autores de um processo de profissionalização do clube contra os processos que nós depreciativamente chamados de amadores realizávamos, é o que considero o maior estelionato eleitoral da história do Botafogo", afirmou o ex-mandatário alvinegro, por meio de um vídeo na rede social.

"Hoje sofre mais uma derrota, se afasta mais ainda do G4 da Série B, não tem perspectiva de ter um treinador [o Botafogo ainda não havia anunciado Enderson Moreira quando ele publicou o vídeo], porque o presidente já declarou que nenhum treinador quer trabalhar no Botafogo, não tem estrutura no departamento de futebol, elenco foi pessimamente selecionado, já trocou treinadores. Em resumo, não tem qualquer expectativa ou esperança para nossa sofrida torcida", completou.

Carlos Eduardo Pereira também criticou a maneira como a atual gestão tem liderado do Botafogo. Um dos pontos levantados pelo ex-presidente foi a contratação de Jorge Braga, que exerce a função de CEO. O dirigente afirmou que não sabe como o clube o contratou.

"Não vejo nenhum projeto, nenhum inconformismo, nenhuma iniciativa, nada. O único processo novo foi a contratação a peso de ouro de um CEO. Isso não foi bem explicado, ainda estão devendo a quantificação dos recursos investidos nessa contratação, porque hoje não temos recursos para treinador e para reforçar a equipe, mas temos para contratar um CEO. Isso sinceramente não me satisfaz", destacou.

O ex-presidente afirmou que vai começar a cobrar os dirigentes das promessas realizadas por profissionalismo e mudanças na gestão. Ele afirmou que o Botafogo precisa a ser respeitado novamente.

"Chegou o momento de todos nós, cansados de sofrer, de ouvir história de comitê, como outro dia vi o vice-presidente geral se autodenominando membro do comitê. Será que não aprenderam que isso não funciona? Que nos levou para a Série B? E eles querem nos levar para a Série C? É esse o profissionalismo que pregavam, é isso que querem fazer com o Botafogo? Se é isso, parem por aí. Não há mais espaço para esse tipo de incompetência. De agora em diante, os senhores serão cobrados por todas as suas promessas de competência, profissionalismo e resultados. Chega de incompetência, está na hora de o Botafogo voltar a ser respeitado. Podem ter certeza, se depender de mim, o Botafogo será respeitado", finalizou.

 

Lance!
Publicidade
Publicidade