PUBLICIDADE

"Estou torcendo contra todos os supertimes", crava Barkley

Sempre polêmico, ex-jogador volta a se posicionar contra reunião de astros e confirma torcida contra o Nets nos playoffs

16 jun 2021 14h38
| atualizado às 19h05
ver comentários
Publicidade

Charles Barkley não é um homem de meias palavras e, por isso, nunca escondeu o seu desgosto com as reuniões de astros que marcam a NBA atual. Temporadas passaram, os atletas reunidos mudaram, mas a posição do polêmico ex-jogador não se altera. Barkley assiste às partidas do Brooklyn Nets hoje e, embora não tenha nada contra os craques do elenco, continua com uma opinião irredutível sobre os chamados supertimes.

Charles Barkley
Charles Barkley
Foto: Lisa O’Connor/AFP / Jumper Brasil

"Eu gosto de Kevin Durant, acho que é um grande jogador e ótima pessoa, mas não sou fã dos supertimes. Não adianta. Se uma equipe como Brooklyn vencer, venceu. É assim que funciona. Mas deixarei perfeitamente claro aqui: estou torcendo contra Kevin, Kyrie Irving e James Harden. E isso pois sempre estou torcendo contra todos os supertimes", afirmou o integrante do Hall da Fama, em entrevista à revista Sports Illustrated.

A posição de Barkley pode parecer retrógrada, mas é totalmente compreensível como a imagem de um momento diferente da NBA: em sua época de atleta, essa dinâmica era inconcebível por uma visão competitiva e viria a ser mais comum com um processo de empoderamento dos jogadores mais recente. Mas, acima de uma postura competitiva, ele não gosta dessas reuniões porque acredita que enfraquecem a liga como um todo.

"Entendo que a NBA é assim agora. LeBron James começou essa coisa de supertimes e tudo mudou. Mas vejo Kawhi Leonard ir embora de Toronto, por exemplo, e sei que não vou voltar lá tão cedo. Os mercados pequenos, em especial, são largados à própria sorte quando eles decidem sair. E não acho que isso seja bom para o esporte e os negócios", argumentou o veterano, vendo as equipes como entes muito fracos nesse processo.

Até por essa posição, Barkley nunca pareceu estar tão empolgado quanto muita gente com o Nets. O experiente ídolo, na verdade, vê uma disputa bastante aberta quando o tema é o troféu Larry O'Brien. "Nunca quero ser um desses idiotas que aparecem na televisão com um ar de quem sabe tudo. Não tenho ideia de quem vai vencer o título e a razão é porque esses são os playoffs mais loucos de todos os tempos", afirmou.

Supertimes como o Nets não existiam da forma como conhecemos hoje, com jogadores assumindo um papel de protagonismo em sua formação contra as franquias, enquanto Barkley jogava. E, talvez, se existissem, ele mesmo admite que a sua opinião pudesse ser um tanto diferente. O ex-ala-pivô não tem arrependimentos sobre a sua história e jornada na NBA, mas, sem um título da liga, reconhece que poderia ser "seduzido" por essa possibilidade.

"Sinceramente, se soubesse que todos tirariam sarro por não ter conquistado um título, eu teria me juntado a um supertime na época. Mas a verdade é que sinto-me bem com meu legado. E tenho certeza que Patrick Ewing, Karl Malone e John Stockton também. Esses jovens de hoje sentem que, se você não vence, sua vida é uma droga. Não vejo assim. Não trocaria a minha vida com nenhum deles", finalizou o craque.

Jumper Brasil
Publicidade
Publicidade