0

Volante regulável da Mercedes causa polêmica na Fórmula 1 e vira alvo de críticas

Equipes questionam legalidade da peça, enquanto escuderia alemã garante ter respaldo técnico da FIA

21 fev 2020
09h16
atualizado às 10h16
  • separator
  • 0
  • comentários

Em vez de algum artíficio aerodinâmico ser a grande novidade na pré-temporada da Fórmula 1 deste ano, desta vez é um volante a grande polêmica durante os testes da categoria, realizados nos últimos dias em Barcelona. A utilização da Mercedes de uma peça com um sistema diferente de regulagem causou polêmica entre as equipes e fez os dirigentes da escuderia alemã saírem em defesa da inovação no carro.

A câmera onboard da transmissão mostrou o hexacampeão Lewis Hamilton movimentando o volante para frente e para trás durante as voltas. Nas retas, o volante ficava mais próxima ao piloto, que empurrava o mecanismo de volta à posição original quando chegava nas curvas. Segundo o diretor técnico da Mercedes, James Allison, a inovação não fere o regulamento da Fia e foi batizada de DAS.

"O sistema introduz uma nova possibilidade de movimento ao volante. Não é uma novidade para a FIA (Federação Internacional de Automobilismo). Temos trabalhado com os membros da entidade a respeito desse sistema há algum tempo, e as regras sobre a direção são bastante claras. Estamos plenamente confiantes de que preenchemos todos os requisitos", explicou Allisson.

Ainda não ficou claro o quanto o volante é decisivo para o rendimento do carro. As demais equipes da categoria suspeitam que a peça ajuda a manter os pneus mais aquecidos durante as retas, mas por não atuar como dispositivo aerodinâmico, não fere o regulamento técnico da modalidade. A diretor da Mercedes garantiu que apesar da polêmica, o volante não é a única novidade trazida para 2020.

"Cada um dos novos carros que trazemos para a pista é decorado com a inovação. É que não são tão óbvias para vocês quanto um sistema independente e discreto como esse, que vocês podem vê-lo com seus próprios olhos", disse. "Uma das coisas que me deram orgulho é fazer parte de uma equipe que não apenas transforma o carro a cada ano, mas está analisando como podemos aprender rápido o suficiente para trazer todas essas inovações para a pista", completou.

Hamilton garantiu que o volante está dentro do regulamento e não afeta o estilo de pilotagem. "Estamos tentando entender e entender. Em termos de segurança, não houve problemas. A FIA está de acordo com o projeto. Para mim, é realmente encorajador ver que minha equipe continua inovando e ficando à frente do jogo", comentou.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade