PUBLICIDADE

Cornejo vence 7ª etapa do Dakar e Van Beveren lidera. Medeiros leva nos quadris

José 'Nacho' Cornejo Florimo, da Honda, venceu a especial entre Riad e Al Dawadimi, neste domingo. Adrien Van Beveren, da Yamaha, é o novo líder na disputa das motos. Nos quadriciclos, a vitória na 7ª etapa ficou com o brasileiro Marcelo Medeiros

9 jan 2022 09h56
ver comentários
Publicidade
‘Nacho’ Cornejo Florimo venceu neste domingo no Dakar
‘Nacho’ Cornejo Florimo venceu neste domingo no Dakar
Foto: MCH Photo/Honda / Grande Prêmio

SAINZ BRILHANTE E ALONSO ACIMA DO ESPERADO: OS ESPANHÓIS NA F1 EM 2021

Rali Dakar 2022 - sétima etapa

Riad - Al Dawadimi

Deslocamento: 299 km

Trecho cronometrado: 402 km

Percurso total: 701 km

A abertura da segunda metade da disputa do Dakar 2022 nas motos proporcionou uma reviravolta na luta pelo título. Neste domingo (9), na longa especial de 402 km entre Riad e Al Dawadimi, José Ignacio 'Nacho' Cornejo Florimo, piloto chileno da Honda, triunfou no trecho cronometrado depois de bater o atual campeão, o argentino Kevin Benavides, da KTM. Aliás, o dia foi perfeito para os hispanofalantes, que conquistaram as cinco primeiras posições da etapa: o espanhol Joan Barreda, também da Honda, foi o terceiro, seguido pelo argentino Luciano Benavides, da Husqvarna, e por Lorenzo Santolino, espanhol que compete com a Sherco. Outro que sorriu de felicidade no desfecho do dia na Arábia Saudita foi Adrien Van Beveren. O francês da Yamaha é o novo líder da classificação geral.

A etapa deste domingo foi marcada pelas dificuldades de navegação, sobretudo com muitas dunas nos primeiros 100 km. Levou a melhor quem partiu mais atrás e conseguiu ter como referência o caminho trilhado pelos pilotos à frente. 'Nacho' Cornejo largou em 21º na etapa e foi baixando o tempo pouco a pouco para vencer sua primeira especial neste ano, a quarta na carreira como piloto no Dakar.

"Hoje foi um ótimo dia para atacar e foi exatamente o que eu fiz. Sabia que a navegação seria difícil, então tirei um pouco o pé para evitar esses erros de navegação. Acho que foi a escolha certa. Esta semana é diferente. Vamos atacar agora e lutar até o fim. A navegação é o meu forte, mas vinha sofrendo um pouco e no primeiro dia cometi um erro que acabou comigo. Estava me sentindo um pouco triste, mas isso é coisa do passado agora. Quero agradecer à minha equipe, que sempre me apoiou 100%. Hoje finalmente valeu a pena, por isso estou feliz em dar a eles essa conquista", declarou o vencedor do dia.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

'Nacho' Cornejo Florimo venceu neste domingo no Dakar (Foto: MCH Photo/Honda)

Mesmo não tendo vencido a etapa, é possível dizer que Kevin Benavides foi um dos vencedores do dia. Também largando mais para trás em relação aos primeiros colocados, o argentino tirou proveito da dificuldade dos seus oponentes com a navegação e conseguiu abrir caminho para finalizar na segunda colocação, somente 44s atrás do adversário chileno.

Em contrapartida, o dia foi terrível para a GasGas. Primeiro, em razão de um acidente sofrido pelo vencedor da etapa de sexta-feira. Daniel Sanders sofreu uma queda durante o trecho de deslocamento antes da especial e sequer largou. O piloto foi encaminhado para o hospital, enquanto as primeiras informações emitidas pela organização do Dakar dão conta de uma lesão no braço, mas em incidente que não foi considerado grave.

Sam Sunderland, portanto, abriu a disputa da especial na frente. O britânico, no entanto, foi o mais prejudicado justamente por conta da missão de ter aberto o percurso e enfrentou muitas dificuldades com a navegação. A jornada custou caro para o piloto da GasGas em termos de luta pelo título do Dakar em razão de uma perda de 25 minutos.

"Foi um dia um pouco difícil. Começou mal para Sanders com uma queda no deslocamento, e depois a etapa foi muito, muito difícil com a navegação, então não é o ideal para começar na frente. É um pouco frustrante, para ser sincero, mas ao mesmo tempo tenho certeza de que os próximos dias serão iguais para os outros caras. Até ontem, quando as pessoas perguntavam se estava animado por liderar a prova, disse que é legal, mas que não significa nada no dia de descanso. Ainda temos dias longos pela frente e tenho certeza que haverá algumas oportunidades para atacar e recuperar algum tempo. Estou feliz pelo Adrien, mas ao mesmo tempo ele vai ter de abrir caminho amanhã, então ele vai ter o mesmo trabalho. Isso é disputa e por isso é interessante", declarou Sanderland.

Adrien Van Beveren sorri com a liderança geral do Dakar (Foto: Julien Delfosse/ASO/DPPI)

Por sua vez, Adrien Van Beveren, que há muitos anos vem em busca do seu primeiro título do Dakar, assumiu a liderança geral da prova. O francês da Yamaha ficou longe de ser um protagonista na disputa deste domingo, mas viveu uma jornada menos turbulenta que a de Sunderland e não perdeu tanto tempo em relação aos ponteiros do dia.

O francês comemorou o fato de estar na liderança geral das motos e recordou os últimos anos, em que lutou pela vitória no Dakar, mas que perdeu a chance de chegar ao topo do pódio em razão de quedas em momentos decisivos.

"Tentei atacar sempre que pude, mas foi uma especial complicada do ponto de vista da navegação. Sabia que poderia valer a pena, então dei tudo de mim. Deu certo. Levando em conta o que já passei, isso me deixa feliz. Tive dois anos difíceis em razão das minhas quedas. Vou fazer o meu melhor para defender a liderança, mas sem enlouquecer. Meu objetivo é chegar ao fim. Tenho dito isso desde o começo, e isso não mudou. Vou usar a minha experiência e manter o plano original. Ainda está longe de terminar, e pretendo acelerar muito até o fim. Se tudo se encaixar, vai ser fantástico", disse Van Beveren.

A classificação geral tem agora Van Beveren na frente com 5min12s de vantagem para Matthias Walkner, da KTM, enquanto Kevin Benavides voltou a uma posição de destaque na prova e é o terceiro, apenas 11s atrás do austríaco. Prejuízo maior teve Sunderland, que despencou de primeiro para quarto e agora tem 5min38s de atraso para o líder. Lorenzo Santolino completa a relação dos cinco primeiros e está 6min34s atrás de Van Beveren. Mas até Joan Barreda, sétimo, desponta com chances reais, já que o espanhol está a apenas 8min33s de diferença para Adrien. Cornejo Florimo, por sua vez, é o nono na classificação geral e tem 26min37s de atraso para a ponta da tabela.

Brasileiro Marcelo Medeiros vence nos quadriciclos

Marcelo Medeiros venceu a especial do Dakar nos quadriciclos neste domingo (Foto: Magnus Torquato/Fotop)

O maranhense Marcelo Medeiros viveu seu grande dia no Dakar 2022 até agora. O piloto, que no começo da competição despontou como um dos favoritos ao título, mas enfrentou um duro revés na quinta etapa e ficou sem qualquer chance de vencer o rali — o piloto sofreu punição de 14h46s por parte da organização da prova ao não completar a especial de quinta-feira.

Mas neste domingo, Medeiros teve um dia para comemorar na disputa dos quadriciclos e liderou toda a especial. Marcelo chegou à zona de meta com 3min07s de vantagem para o francês Alexandre Giroud, enquanto Pablo Copetti, argentino naturalizado norte-americano, terminou o dia em terceiro.

Com o abandono do campeão no ano passado, o argentino Manuel Andújar, a disputa pela taça dos quadriciclos parece restrita a Giroud e Copetti. Na classificação geral, o francês aparece com 18min21s de frente para o norte-americano, enquanto o russo Aleksandr Maksimov tem 52min39s de atraso em relação ao líder da competição.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade