0

Sem trio de estrangeiros, Atlético-MG tenta manter 'gordura' diante do Fortaleza

Líder aposta na boa fase de Keno para se manter com folga na ponta da tabela

7 out 2020
10h34
atualizado às 10h34
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Todo treinador tem seus jogadores de confiança e no líder Atlético-MG não é diferente. Apesar da ser adepto ao rodízio do elenco, Jorge Sampaoli não abre mão de seus estrangeiros. No Castelão, às 21h30, o técnico argentino espera que a equipe mantenha o embalo e a "gordura" na tabela na visita ao Fortaleza, sem Júnior Alonso, Franco e Savarino.

O defensor paraguaio é um dos pilares do líder do Brasileirão. Firme, foi o único jogador que entrou em campo em todos os jogos sob a batuta de Sampaoli depois da retomada das competições. Além de defender seu país nas Eliminatórias, ele já cumpriria suspensão pelo terceiro cartão amarelo - forçou a advertência diante do Vasco.

O equatoriano Franco e o venezuelano Savarino, também ausentes pelas Eliminatórias, se firmaram com o decorrer dos jogos e também se tornaram imprescindíveis. A ponto de serem substituídos apenas quando não aguentam mais. Sampaoli costuma optar por mexer em outras peças antes deles.

Numa visita a um oponente duro, Sampaoli promete não "inventar". O esquema será o mesmo que vem rendendo frutos até então. E a postura ofensiva ele promete também não mexer. Mesmo sendo vazado algumas vezes pelo seu ímpeto de sempre buscar o ataque - a média supera dois gols marcados por jogo - o Atlético-MG consegue as vitórias ao apresentar um alucinante ritmo agressivo. Para manter a "gordura" de cinco pontos a mais que o segundo colocado, Sampaoli seguirá no ataque no Ceará.

Keno e Sasha têm tudo para ganhar a companhia de Marrony, na frente. Mas o jovem Marquinhos pode ser a surpresa de Sampaoli. No meio, Nathan deve atuar ao lado de Jair e Allan, esses mais na contenção das jogadas.

Time de Ceni tenta surpreender

Há cinco jogos sem derrota, ainda que com dois empates seguidos nas últimas rodadas, o Fortaleza tem uma missão nada fácil. Para o duelo, o técnico Rogério Ceni deve manter a mesma escalação titular que começou o empate sem gols contra o Atlético-GO no último final de semana. Sem novos desfalques, seja por lesão, coronavírus ou suspensão, a tendência é que a equipe comece mais uma vez em uma formação ousada, o 4-2-4, com dois atacantes ajudando também no meio-campo e na marcação, pelos lados do campo.

"O Atlético é um time que contratou muita gente, investiu muito dinheiro e fez um time praticamente novo, com elenco maior que o nosso. Vamos tentar fazer um time que consiga competir com um estilo de jogo que é de alta intensidade o tempo todo. Creio que vamos ter de montar uma estratégia de jogo bem física e bem competitiva", ponderou Ceni.

Depois, ele completou para explicar como pretende fazer isso. "Independentemente das peças que entram, precisamos de jogadores com alta intensidade para enfrentar um time tão forte como o do Sampaoli", disse o treinador.

Atualmente, o Fortaleza está na décima colocação, com 17 pontos. Em 13 partidas disputadas, venceu quatro, empatou cinco e perdeu outras quatro.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade