PUBLICIDADE
Logo do Atlético-GO

Atlético-GO

Favoritar Time

Atlético-GO: STJD suspende Luiz Fernando, Adson Batista e até mascote

Punição se dá por declarações proferidas após polêmico jogo contra o Flamengo

14 mai 2024 - 18h30
(atualizado às 19h18)
Compartilhar
Exibir comentários
Atlético-GO perde Luiz Fernando por quatro jogos
Atlético-GO perde Luiz Fernando por quatro jogos
Foto: Divulgação/Atlético-GO / Esporte News Mundo

O Atlético-GO recebeu uma péssima notícia no início da noite desta terça-feira (14). Não bastasse a péssima fase que o time atravessa nos gramados, o Dragão foi notificado pelo STJD que o atacante Luiz Fernando e o presidente Adson Batista estão suspensos por "ofenderem à honra" da arbitragem do polêmico jogo contra o Flamengo, válido pela 1ª rodada do Campeonato Brasileiro deste ano. Derrotado por 2 a 1, o clube goiano reclama de expulsões (de Maguinho, Alix e do técnico Jair Ventura) e do pênalti marcado, nos acréscimos, para o Flamengo.

O curioso é que até o mascote do time foi punido. O funcionário do clube Paulo Marcos, que se veste durante as partidas com uma fantasia e interage com o público, ganhou um gancho de 30 dias de suspensão, pelo mesmo motivo pelo qual Luiz Fernando e Adson Batista foram punidos. O mandatário do Dragão ganhou a mesma pena de Paulo Marcos e ainda terá de pagar uma multa de R$ 10 mil. Porém, a perda mais sentida, claro, é a de Luiz Fernando. Peça-chave do time de Jair Ventura, ele pegou quatro jogos de suspensão e pagará multa de R$ 2 mil.

Com a suspensão de quatro jogos, Luiz Fernando não enfrenta Vitória, Corinthians, Fluminense e Criciúma, que são os próximos adversários do Dragão. O clube, porém, deve entrar com recurso, possível após julgamento com base no artigo 243-F do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD). Além desses três, outros quatro membros do Atlético-GO também foram julgados nesta terça: o técnico Jair Ventura, o zagueiro Alix Vinícius, o lateral-direito Maguinho e o preparador de goleiros Cláudio Cerqueira.

Alix e Jair Ventura cumpriram suspensão no jogo contra o Botafogo e estão livres para ajudar o Atlético-GO nos próximos jogos do Brasileirão. Maguinho foi absolvido e também está livre. Cláudio Cerqueira não teve a mesma sorte, já que pegou gancho de um jogo de suspensão.

Relembre as polêmicas e as declarações

A derrota para o Flamengo, que ocorreu na 1ª rodada do Brasileirão, foi marcada por muitas polêmicas de arbitragem. O Dragão reclama da expulsão do técnico Jair Ventura logo no início da partida e do cartão vermelho aplicado ao zagueiro Alix, já no final do primeiro tempo. Na segunda etapa, o pênalti marcado para o time carioca já nos acréscimos (cometido por Maguinho em Bruno Henrique) gerou revolta geral e a expulsão do lateral-direito. Na cobrança, Pedro deu a vitória ao Flamengo diante de um consternado Atlético-GO.

Em entrevista concedida à detentora dos direitos de transmissão, o atacante Luiz Fernando afirmou que o árbitro "só fez m#$%&" e que foi à Goiânia "mal intencionado". Adson Batista, presidente do Dragão, também reclamou muito em entrevistas concedidas à imprensa após o final do jogo. O mandatário afirmou que "a máfia do apito" esteve em Goiânia naquele dia. Até o perfil do Atlético-GO na plataforma "X" teceu inúmeras críticas e reclamações à arbitragem.

Horas depois do final do jogo e das manifestações, a instituição do Atlético-GO divulgou uma nota oficial em seus canais onde repudiava a arbitragem do jogo.

Esporte News Mundo
Compartilhar
Publicidade
Publicidade