PUBLICIDADE

Argentina deixa de ser "mandante" e ouve até "olé" em SP

1 jul 2014 15h59
| atualizado às 16h12
ver comentários
Publicidade
<p>Messi e Di Maria comemoram gol da Argentina durante jogo contra a Suíça</p>
Messi e Di Maria comemoram gol da Argentina durante jogo contra a Suíça
Foto: Ricardo Matsukawa / Terra

Depois de três partidas em que foi proporcionalmente igual ou até superior, a Argentina atuou com minoria de torcida em vitória contra a Suíça, nesta terça-feira, em São Paulo. Se já não bastasse o coeficiente de ingressos inferior a 20% da carga vendida, torcedores argentinos tiveram problemas no aeroporto de Buenos Aires. Os que foram e os que não foram ao estádio, ainda assim, tiveram sorte com a classificação argentina às quartas de final em triunfo por 1 a 0

Quer acompanhar as notícias e jogos da sua seleção? Baixe nosso app. #TerraFutebol

Com mais camisas amarelas que azuis, a Arena Corinthians presenciou uma atmosfera curiosa para os jogos argentinos. Os cânticos brasileiros se sobressaíram, principalmente durante a prorrogração, com gritos de "olé" a cada toque na bola que dava a Suíça. Houve espaço para quase tudo, inclusive gritos de corintianos como o famoso "aqui tem um bando de loucos". Na véspera, Lionel Messi havia recebido de presente uma camisa da equipe dona do estádio. 

Também houve momentos para gritos surpreendentes de "olé olé Dilma Dilma" em apoio à presidente da República. No mesmo estádio, durante a abertura da Copa do Mundo em 12 de junho, ela havia sido vaiada e xingada por torcedores que foram a Brasil x Croácia

Eufóricos pelo gol salvador marcado por Angel Di María,  aos 117min já na prorrogação, os torcedores argentinos foram os últimos a deixar o estádio. Mesmo quando os jogadores já estavam no vestiário, centenas de fãs celebravam a progressão à próxima partida, em Brasília, no sábado - contra Bélgica ou Estados Unidos

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade