0

De gancho pesado a "goleiro vovô": veja feitos históricos

23 jun 2014
08h29
atualizado em 27/6/2014 às 11h07
  • separator
  • 0
  • comentários

Concluída a primeira fase da Copa do Mundo do Brasil, diversas marcas históricas foram superadas, positivas e negativas. Além da chuva de gols, recorde desde que a competição passou a contar com 32 seleções, a segunda edição brasileira do torneio registrou feitos inéditos para o esporte, como o primeiro tento confirmado por meio da tecnologia, a mais longa suspensão da história e o jogador mais velho a entrar em campo. O Terra separou os recordes registrados nos campos brasileiros. Confira:

<p>Mondragón se tornou o jogador mais velho a disputar um jogo de Copa</p>
Mondragón se tornou o jogador mais velho a disputar um jogo de Copa
Foto: Reuters
O jogador mais velho a disputar uma partida de Copa do Mundo

Faryd Mondragón substituiu David Ospina no final do segundo tempo do jogo entre Colômbia e Japão para se tornar o atleta mais velho a pisar no gramado de uma partida de Mundial. Aos 43 anos e três dias, o experiente goleiro superou o camaronês Roger Milla, que em 1994 entrou em campo contra a Rússia quando tinha 42 anos e 39 dias.

Na goleada por 4 a 1 contra o Japão, Mondragón ainda teve a oportunidade de mostrar seu talento defendendo a meta colombiana, ao evitar um gol de Kakitani no mano a mano.

<p>O ganês Gyan superou Milla como maior artilheiro africano</p>
O ganês Gyan superou Milla como maior artilheiro africano
Foto: Getty Images
O africano com mais gols em Copas

No empate por 2 a 2 com a Alemanha, Asamoah Gyan se igualou a Roger Milla com cinco gols marcados em Mundiais. Na derrota por 2 a 1 Portugal, o artilheiro ganês fez o único da sua seleção e seu sexto em três edições da competição e se isolou como o maior goleador do continente africano na história da Copa do Mundo.

Gyan também se tornou o único jogador africano a marcar em três Mundiais consecutivos.

<p>Gol de Varela contra os EUA foi o marcado mais tarde no tempo regulamentar na história</p>
Gol de Varela contra os EUA foi o marcado mais tarde no tempo regulamentar na história
Foto: Andres Stapff / Reuters
Gol mais tardio da história dos Mundiais no tempo regulamentar

Portugal largou na frente contra os Estados Unidos com Nani em partida da segunda rodada do Grupo G da Copa do Mundo, mas cedeu a virada aos americanos, que marcaram com Jones e Dempsey e iam encaminhando a classificação antecipada às oitavas de final, superando a Alemanha na tabela da chave.

Os comandados de Jurgen Klinsmann já contavam com a vitória por 2 a 1, mas se distraíram nos últimos segundos dos cinco minutos de acréscimo dados pelo árbitro da partida e cederam a igualdade para os portugueses aos 49min33s, quando Varela concluiu cruzamento preciso de Cristiano Ronaldo para marcar o gol mais tardio no tempo regulamentar da história dos Mundiais.

<p>Suspensão de Suárez superou a aplicada em Tassotti em 1994</p>
Suspensão de Suárez superou a aplicada em Tassotti em 1994
Foto: Carlos Barria / Reuters
A suspensão mais pesada da história

Na Copa do Mundo de 1994, o italiano Mauro Tassotti acertou o espanhol Luis Enrique com uma cotovelada e foi suspenso por oito jogos pela Fifa, desfalcando a Itália até o final da competição. Neste ano, o uruguaio Luis Suárez conseguiu quebrar este triste recorde.

O camisa 9 da seleção celeste mordeu o zagueiro Giorgio Chiellini na vitória sobre a Itália por 1 a 0, mas não recebeu o cartão vermelho do árbitro que apitava a partida. A entidade máxima do futebol, no entanto, abriu uma investigação para avaliar o caso e decidiu não só suspender o atacante por nove partidas pela sua seleção, mas excluí-lo da Copa do Mundo do Brasil, tirando sua credencial, e punindo-o com uma suspensão quatro meses do futebol profissional. 

Artilheiro da última edição do Campeonato Inglês e também da temporada europeia - ao lado de Cristiano Ronaldo -, Suárez terá que esperar até o final de outubro para poder entrar em campo pelo Liverpool.

<p>Assim como fez Ronaldo, Klose marcou seu 15º gol em Copas contra Gana</p>
Assim como fez Ronaldo, Klose marcou seu 15º gol em Copas contra Gana
Foto: Getty Images
O maior artilheiro das Copas

Na Copa da Alemanha, em 2006, Ronaldo se tornou o maior artilheiro da história dos Mundiais ao marcar contra Gana aos 5min do primeiro tempo na vitória do Brasil por 3 a 0, nas oitavas de final, em partida realizada no Westfalenstadion, em Dortmund.

Também contra Gana, na Copa do Mundo do Brasil deste ano, Miroslav Klose superou Gerd Müller, se tornando o maior goleador alemão de todos os tempos, além de empatar com Ronaldo entre todos os atletas que já disputaram a competição. O centroavante nascido na Polônia marcou aos 26min da etapa complementar em partida válida pela segunda rodada do Grupo G.

<p>Gol contra de Valladares foi o primeiro "tecnológico" da história</p>
Gol contra de Valladares foi o primeiro "tecnológico" da história
Foto: AFP
Primeiro gol tecnológico

A Inglaterra é acusada de ser campeã do mundo graças a um erro da arbitragem na final de 1966, contra a Alemanha, quando Hurst mandou chute no travessão na prorrogação e o juiz confirmou o terceiro - e discutível - tento na vitória por 4 a 2.

Por ironia do destino, na Copa do Mundo de 2010, a Alemanha ganhou da Inglaterra por 4 a 1 nas oitavas de final, em um confronto que ficou marcado por um gol não confirmado pelo trio de árbitros em um chute de Lampard no travessão que ultrapassou a linha da meta defendida por Neuer. O lance colocaria os ingleses em igualdade no placar na ocasião.

No Mundial do Brasil, a Fifa estreou a "Goal-line Technology", que protagonizou o primeiro gol na partida entre Honduras e França, a décima do torneio, em um lance que Benzema mandou na trave e o goleiro Valladares desviou para além da linha, para puxá-la para fora segundos depois. A malandragem não enganou a tecnologia, que confirmou o segundo tento francês da competição.

5º gol mais rápido da história dos Mundiais

Clint Dempsey levou 29s para abrir o placar para os Estados Unidos diante de Gana na Arena das Dunas e entrou para a história das Copas ao se tornar o autor do quinto gol mais rápido de todas as edições do Mundial.

Gols mais rápidos da história das Copas
Jogador Seleção Segundos
Hakan Sukur Turquia - 2002 11
Vaclav Masek Checoslováquia - 1962 16
Ernst Lehner Alemanha - 1934 25
Bryan Robson Inglaterra - 1982 27
Clint Dempsey Estados Unidos - 2014 29

Terceiro jogador a marcar em quatro edições de Copas do Mundo

O gol de Miroslav Klose contra Gana não só o colocou no mesmo patamar de Ronaldo e à frente de Gerd Müller. O centroavante da seleção alemã se igualou a ninguém menos do que Pelé e seu conterrâneo Uwe Seeler como um dos três jogadores a marcarem gols em quatro edições de Copas do Mundo.

Jogador Primeira Copa Segunda Copa Terceira Copa Quarta Copa
Uwe Seeler 1958 - 2 gols 1962 - 2 gols 1966 - 2 gols 1970 - 3 gols
Pelé 1958 - 6 gols 1962 - 1 gol 1966 - 2 gols 1970 - 4 gols
Klose 2002 - 5 gols 2006 - 5 gols 2010 - 4 gols 2014 - 1 gol (até o momento)

Primeiro gol contra da história da Seleção

Assim como Klose, o lateral esquerdo Marcelo entrou para a história tanto das Copas do Mundo como da Seleção em Mundiais. O gol contra marcado aos 11min do primeiro tempo diante da Croácia, na Arena Corinthians, foi o primeiro que o Brasil sofreu de um dos seus jogadores, assim como a primeira vez que um tento deste tipo foi o primeiro marcado em uma edição do torneio.

Fim da seca de vitórias argelina

A Argélia precisou de 32 anos para reencontrar o caminho das vitórias em Copas do Mundo. Depois de vencer dois jogos na Espanha em 1982 e ser eliminada ainda na primeira fase pelo saldo de gols, a seleção argelina disputou os Mundiais de 1986 e 2010, nos quais realizou seis partidas, perdeu quatro e empatou as outras duas.

No Grupo H da competição sediada pelo Brasil, a Argélia por pouco não derrotou a Bélgica na estreia, mas acabou sendo batida de virada. No segundo jogo, diante da Coreia do Sul, a equipe do norte da África não vacilou e encerrou a seca com uma goleada por 4 a 2 sobre a Coreia do Sul.

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade