0

Como criar um roteiro para uma apresentação?

Criar um roteiro da apresentação é uma técnica indispensável. Veja como elaborar o seu e ter uma apresentação de sucesso.

12 set 2018
07h00
  • separator
  • comentários

Speakers! Tudo bem?

Os preparativos para uma apresentação em público começam muito antes de quando o comunicador já está no palco, em frente à plateia. Na verdade, o momento de falar para as pessoas é a etapa final desse processo, que, para ter sucesso, precisa de um planejamento e muita prática.

Antes de encarar o público, é necessário estudar o tema que será abordado, mesmo que tal tema já seja de domínio do comunicador. Ao fazer esse estudo, delimitamos quais informações serão utilizadas e qual é a ideia central do que queremos transmitir. Para isso, criar um roteiro da apresentação é uma técnica indispensável.

Além disso, outros cuidados devem ser tomados antes de uma apresentação. Conferir os equipamentos técnicos é um deles. Também é preciso conhecer o perfil do público e o assunto das demais apresentações que fazem parte do evento.

Na nossa conversa de hoje, vamos falar um pouco mais sobre as etapas de preparação antes de uma apresentação em público, com destaque para o momento de criar um roteiro. Se você fará uma apresentação em breve, não faça isso sem ler esse post!

Foto: Shutterstock

Por que escrever um roteiro para a minha apresentação?

Os grandes comunicadores e especialistas em comunicação ressaltam que a técnica de criar um roteiro para uma apresentação em público é uma ferramenta essencial. Inclusive para aqueles que já têm a prática de falar em público e/ou que dominam o assunto do qual irão falar na exposição oral.

Entre alguns dos motivos que fazem dessa etapa algo essencial para uma boa apresentação, podemos destacar:

- Ao escrever um roteiro, se consegue visualizar o tema que será abordado e, a partir disso, tem-se uma visão mais ampla de qual será a melhor forma para apresentar esse conteúdo. Essa forma deve ser, ao mesmo tempo, informativa e interessante. E esse é o grande desafio das apresentações.

- Com a ideia geral definida, é através do roteiro que o comunicador logra delimitar o assunto, selecionando informações relevantes e atualizadas, e descartando o que já não é relevante. Nesse momento, estabelecer palavras-chaves para cada tópico é uma técnica eficaz.

- O conteúdo já está definido e as informações foram revistas e atualizadas. Para finalizar o roteiro, é importante inserir trechos que possam contribuir para prender a atenção do público. Contar histórias ou humanizar dados através de personagens (o que chamamos de StoryTelling) é uma estratégia interessante.

- Um roteiro permite, ainda, que o comunicador consiga identificar possíveis erros ou aspectos que poderiam ser aprimorados ANTES de estar em frente ao público. Com o script em mãos, se pode trabalhar na própria apresentação, praticando a exposição oral até que ela esteja perfeita.

- Outro ponto importante de um roteiro é a possibilidade de ter uma noção aproximada da duração de uma fala, verificando, assim, se o tempo está dentro dos limites propostos pela organização do evento. Se for necessário, portanto, o comunicador pode cortar trechos que estejam ultrapassando o tempo previsto ou acrescentar novas informações.

Como fazer um roteiro para as apresentações em público?

Cada comunicador desenvolve sua própria forma de esquematizar e planejar as suas apresentações. Com o tempo – e com a prática – esse hábito ficará cada vez mais naturalizado. Ainda assim, é interessante seguir alguns passos na hora de criar o seu roteiro.

O primeiro deles é definir o tema geral da apresentação e começar a reunir informações, dados e histórias que possam ilustrar o que está sendo dito (se for o caso). Nessa etapa, é fundamental buscar informações nos mais diversos setores e verificar se são, de fato, corretas e atualizadas.

As apresentações em público geralmente obedecem a uma divisão: introdução, desenvolvimento e conclusão. Sendo assim, o passo seguinte é organizar as informações do conteúdo (já definidas no passo anterior) nesses três momentos, levando em consideração que a introdução tem uma enorme importância: a de lograr (ou não) prender a atenção do público logo nos primeiros minutos.

Quando o roteiro estiver pronto, é preciso dedicar um tempo para praticar a fala em voz alta, seja sozinho, para amigos ou mesmo para uma câmera. Fazer isso em voz alta é muito importante, assim o comunicador se familiariza com o roteiro e consegue fazer ajustes que, por ventura, sejam necessários.

Nos nossos cursos de oratória, a criação de roteiros para apresentações é uma das habilidades trabalhadas pela nossa equipe. Conheça nossos treinamentos e aprimore suas habilidades de comunicação!

Fonte:

www.thespeaker.com.br

The Speaker
  • separator
  • comentários
publicidade