PUBLICIDADE

JHSF: lucro no 1º trimestre atinge R$ 166,5 milhões

12 mai 2022 21h02
ver comentários
Publicidade

A rede de operações de luxo JHSF, dona do shopping Cidade Jardim e do Fasano, teve lucro líquido de R$ 166,5 milhões. O montante foi 13% menor na comparação entre o primeiro trimestre de 2022 com o mesmo período de 2021.

O grupo teve aumento da receita, com melhora no desempenho dos negócios de shoppings, hotéis e restaurantes e aviação. Mas o avanço das despesas com juros afetaram o lucro.

O Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado aumentou 7,1%, para R$ 258,4 milhões. A margem Ebitda ajustado baixou 6,6 pontos porcentuais, ficando em 56,0%. A receita líquida cresceu 19,8%, para R$ 461,5 milhões.

O resultado financeiro (saldo entre receitas e despesas financeiras) ficou negativo em R$ 42,1, montante 3,7 vezes maior na mesma base de comparação anual. A JHSF citou o efeito da variação cambial sobre aplicações no exterior, além de aumento dos indexadores da dívida (CDI e IPCA).

As despesas operacionais subiram 8% e chegaram a R$ 69,4 milhões. A JHSF tinha, no fim de março, um caixa líquido de R$ 76,0 milhões.

Incorporação

A maior contribuição para os resultados da JHSF no primeiro trimestre partiu do segmento de incorporação imobiliária, voltado para o desenvolvimento de imóveis para venda. Este braço de negócios gerou Ebitda ajustado de R$ 209,2 milhões (queda de 12,1%), com margem de 67,6% (queda de 11,6 p.p).

A companhia explicou que ritmo de vendas de imóveis intensificou-se a partir de meados de fevereiro, finalizando o trimestre com R$ 321,6 milhões em vendas contratadas.

Shoppings

O segmento de shoppings teve Ebitda ajustado de R$ 29,0 milhões (alta de 142,9%) e margem de 59,4% (alta de 14,8 p.p.).

A JHSF informou que as vendas dos lojistas cresceram 86,8% em relação ao primeiro trimestre de 2021 e aumentaram 49,6% perante o primeiro trimestre de 2019 (pré-pandemia).

Hotéis e Restaurantes

O braço de hotéis e restaurantes contribuiu com um Ebitda de R$ 16,0 milhões. Um ano antes, o Ebitda foi praticamente zero, uma vez que os empreendimentos estavam com funcionamento limitado por conta da covid-19. A margem no trimestre foi de 23,9%.

A companhia destacou a ocupação que chegou a 69% do Hotel Fasano São Paulo, além da adição de novas operações ao longo de 2021: Hotel Fasano New York e Hotel Fasano Trancoso.

Aviação

Por fim, o segmento de aviação - onde está o aeroporto de Catarina - gerou Ebitda ajustado de R$ 5,0 milhões (alta de 158,8%) e margem de 33,7% (ganho de 6,1 p.p.).

O crescimento das operações aeroportuárias causou o aumento da receita no trimestre. O número de movimentos cresceu 38,9% e o número de litros abastecidos 291,5%. A operação de voos internacionais que acontece desde meados de junho de 2021 e que teve seu funcionando expandido em fevereiro de 2022, contribuiu para a melhora do desempenho do segmento.

Estadão
Publicidade
Publicidade