0

Fundador da Parmalat é condenado a 17 anos de prisão

Calisto Tanzi foi sentenciado pela quebra da empresa em 2003

8 mar 2014
11h23
atualizado às 11h28
  • separator
  • 0
  • comentários

A Corte Suprema da Itália confirmou na sexta-feira as 15 condenações impostas pelas instâncias inferiores da Justiça do país por conta da quebra da Parmalat em 2003.

A falência da empresa foi decretada após ser descoberto um rombo de 14 bilhões de euros (R$ 45 bilhões) em seus registros contábeis
A falência da empresa foi decretada após ser descoberto um rombo de 14 bilhões de euros (R$ 45 bilhões) em seus registros contábeis
Foto: Getty Images

Entre os culpados está o fundador e ex-CEO da companhia, Calisto Tanzi, sentenciado a 17 anos e cinco meses de prisão. As informações são da Agência Ansa.

Já o seu ex-braço-direito Fausto Tonna terá que cumprir nove anos, seis meses e 20 dias de cadeia. O irmão de Calisto, Giovanni Tanzi, foi condenado a 10 anos e dois meses. A falência da empresa foi decretada após ser descoberto um rombo de 14 bilhões de euros (R$ 45 bilhões) em seus registros contábeis, provocando prejuízos para quase 40 mil investidores.

O ex-CEO, atualmente com 75 anos, era o único que já estava em regime de detenção, mas em um hospital de Parma.

<a data-cke-saved-href="http://economia.terra.com.br/historia-logos/" href="http://economia.terra.com.br/historia-logos/">veja o infográfico</a>
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade