PUBLICIDADE

Amanda Dias

Guia essencial para programar a aposentadoria

O amanhã pertence àqueles que se organizam hoje

21 mar 2023 - 08h39
Compartilhar
Exibir comentários
Conheça método prático para planejar a sua aposentadoria:

Tem um provérbio Iorubá (Nigéria) que diz que o amanhã pertence àqueles que se organizam hoje. Eu já usei esse provérbio outras vezes e vou seguir repetindo, porque ele é um conselho ancestral de ouro. Ele vale para todos os campos da vida, mas na área financeira, tem um papel ainda mais importante.

Nossa passagem por Onilè/Ayê (terra) é rápida. Quando menos esperamos, os 20 passaram, os 30 chegaram, os 50 estão logo ali. O envelhecimento é um privilégio, afinal, só chega lá quem sobrevive. Mas a capacidade de trabalho diminui, e nossa qualidade de vida lá no futuro exige previdência (em todos os sentidos) no presente. A aposentadoria, que significa parar de trabalhar, vai acontecer para todos. A grande pergunta é: você está preparado?

Se a sua resposta for não, hoje eu vou te ajudar a descomplicar a organização necessária para uma velhice tranquila e feliz.

O método é simples: existem 3 Q's, que são o seguinte:

  • 1.    Quando vou me aposentar?
  • 2.    Quanto vou receber?
  • 3.    Qual é o benefício mais vantajoso?

Isso significa que com esses três passos, você conseguirá atingir o seu sonho de viver bem e tranquilamente. Confira cada um deles com mais detalhes a seguir.

Guia essencial para programar a aposentadoria
Guia essencial para programar a aposentadoria
Foto: iStock

O primeiro Q: Quando vou me aposentar?

Para garantir sua aposentadoria, contribuir para o INSS ainda é importantíssimo! Existe quem fale que é besteira contribuir para o INSS, já que outros investimentos podem render mais a curto ou a longo prazo, mas não podemos descartar isso.

Acredite: o INSS ainda garante direitos importantes, classificados como seguridade social.

São eles:

  • - Auxílio-doença.
  • - Salário maternidade.
  • - Afastamento do trabalho por acidente.

Então, não se engane achando que essas coisas não serão necessárias – não queremos que nada de ruim aconteça, mas é sempre bom garantir, viu?

Para saber sobre o seu tempo de contribuição, você deve entrar no site meu.inss.gov.br e conferir o andamento dos pagamentos, que costumam sair direto do seu salário se você tiver registro em carteira. Veja se tudo está sendo pago direitinho.

Caso você esteja em tempo próximo da aposentadoria, busque saber se todos os pagamentos necessários já foram regularizados. E calma! Nem tudo está perdido se o seu trabalho não for registrado. O importante é procurar saber como você pode contribuir.

Uma dessas maneiras é ter um registro autônomo. Você deve emitir uma nota fiscal para cada um dos seus trabalhos e pagar todos os impostos direitinho. Você consegue fazer tudo isto por meio de uma MEI. Abrir uma conta MEI vai te classificar como Microempreendedor Individual, e assim você poderá contribuir para a previdência social.

O segundo Q: Quanto vou receber?

Essa é a pergunta mais comum. A nossa renda é importantíssima para tomadas de decisão na vida. Essa é a regra número um da educação financeira: não podemos gastar mais do que ganhamos, certo?

Falamos bastante sobre a importância da Previdência Social, que garante vários direitos importantes e é a maneira mais comum de conseguir uma aposentadoria. Não descarte essa opção.

Mas sabia que é interessante pensar em fundos complementares, como a Previdência Privada ou outros investimentos? Você imagina que 66% dos aposentados recebem apenas um salário mínimo?

Todo dinheiro é bem-vindo, mas para ter uma boa qualidade de vida, é importante pensar em maneiras de se garantir além dessa.

O terceiro, e último, Q: Qual é o benefício mais vantajoso?

Você deve buscar o investimento complementar certo para você. Pesquisar é a palavra-chave aqui: entenda as taxas que os bancos oferecem, leia os documentos e veja se consegue chegar no melhor acordo possível.

Tomar a decisão errada na hora de investir pode afetar a rentabilidade do seu fundo de aposentadoria a longo prazo, então fique de olho nas Instituições: a Previdência Privada certa para você é aquela que é mais segura e que você consegue entender todas as vantagens!

Caso você não tenha uma Previdência Privada de uma empresa (que é a fechada), você deverá procurar pela Previdência aberta: aquela que qualquer pessoa pode adquirir.

E para adquirir uma, você deve ir até um banco, uma corretora de investimentos ou outros tipos de instituições que oferecem fundos de previdência.

Esse post foi baseado em uma entrevista minha com Hilário Bocchi Júnior (@hilariobocchijunior) - advogado previdenciário, jornalista e professor - que você pode ouvir no episódio #05 do “Fala, emancipade” meu podcast disponível gratuitamente em todas plataformas de áudio.

Fonte: Amanda Dias
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade