1 evento ao vivo

Agência de risco diz que perspectiva do Brasil é "negativa"

Ao mesmo tempo, a Moody's reafirmou o rating soberano do País em "Baa2"

9 set 2014
12h06
atualizado às 12h54
  • separator
  • comentários

A agência de classificação de risco Moody's mudou a perspectiva de rating do Brasil nesta terça-feira para "negativa", de "estável", citando o maior risco de crescimento baixo sustentado e de piora em métricas de dívida.

<p>Agência diz que o País continua registrando crescimento baixo</p>
Agência diz que o País continua registrando crescimento baixo
Foto: Valter Campanato / Agência Brasil

Ao mesmo tempo, a Moody's reafirmou o rating soberano do País em "Baa2", devido à resiliência aos choques financeiros externos por seu colchão de reservas internacionais, vulnerabilidade limitada do balanço patrimonial do governo e benefícios subjacentes derivados da economia extensa e diversificada do Brasil.

A agência citou três motivos para a alteração da perspectiva da nota brasileira. Primeiramente a economia mostra poucos sinais de retorno ao potencial de crescimento no curto prazo. "A Moody's considera que a economia brasileira continuará registrando crescimento baixo e estima que aumentos do PIB anual provavelmente vão permanecer abaixo do potencial do País de cerca de 3%", disse em nota.

A projeção da agência é de que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro crescerá menos de 1% em 2014 e menos de 2% em 2015.

A Moody's também destacou a forte deterioração do sentimento do investidor e seu impacto na formação bruta de capital fixo. "As baixas taxas de investimento no Brasil refletem principalmente o sentimento negativo do investidor, conduzido por uma percepção de mercado generalizada sobre a abordagem intervencionista da administração atual", disse.

Por fim, a agência citou os desafios fiscais que os obstáculos econômicos mencionados impõem, impedindo a reversão da tendência de elevação nos indicadores da dívida do governo.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade