3 eventos ao vivo

JN ‘humilha’ Bolsonaro com a derrota dos apoiados por ele

Telejornal da ‘inimiga’ Globo dedicou tempo relevante para contestar a influência eleitoral do presidente

17 nov 2020
15h22
atualizado às 15h22
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Foram longos cinco minutos. Duração incomum para uma matéria de telejornal. Na edição de segunda-feira (16), o ‘JN’ exibiu verdadeiro dossiê a respeito dos candidatos de Jair Bolsonaro com votação abaixo da expectativa.

Bolsonaro teve o poder de influência questionado no telejornal comandado por Renata Vasconcellos e William Bonner na Globo
Bolsonaro teve o poder de influência questionado no telejornal comandado por Renata Vasconcellos e William Bonner na Globo
Foto: Fotomontagem: Blog Sala de TV

“Nesta eleição, diferentemente do que aconteceu dois anos atrás, o apoio do presidente Jair Bolsonaro não se concretizou em votos nas urnas”, introduziu a âncora Renata Vasconcellos.

A matéria foi feita pela veterana repórter Delis Ortiz, aquela que presenteou Bolsonaro com uma Bíblia em um café da manhã a jornalistas no Palácio do Planalto e pediu desculpas ao presidente ao contestá-lo em uma coletiva em março.

Com a utilização de gráficos, ressaltou-se o mau desempenho da maioria dos postulantes a prefeito e vereador que usaram o nome e a imagem de Bolsonaro, ou foram diretamente citados por ele em ‘lives’.

“O argumento de que a derrota não foi de Bolsonaro, gera uma percepção desencontrada da realidade”, disse Delis. Ela ouviu o cientista político Creomar de Souza, que chancelou o fracasso do apoio de Bolsonaro à maioria dos candidatos.

Pouco depois, a mesma matéria foi ao ar no ‘Jornal das 10’ da GloboNews. Os comentaristas do canal foram ainda mais enfáticos na afirmação de que os resultados da eleição diminuíram o prestígio político do presidente.

Inegável o contexto jornalístico da reportagem. O ‘JN’ se baseou em dados oficiais para sustentar a percepção apresentada também por outras emissoras. Mas o presidente e os bolsonaristas certamente interpretaram como tentativa de provocação e humilhação.

Nos últimos dias, a Globo tem sido alvo de ataques nas redes sociais de políticos e anônimos por conta da iminente candidatura de Luciano Huck à Presidência em 2022. O próprio presidente comentou o assunto tempos atrás.

Sustenta-se a narrativa de que o canal está por trás do projeto político de seu apresentador, obstinado a criar uma chapa de centro-direita a fim de impedir a reeleição de Jair Bolsonaro. O Grupo Globo nega qualquer envolvimento.

Veja também:

Bom dia, Verônica: elenco discute violência doméstica
Sala de TV Blog Sala de TV - Todo o conteúdo (textos, ilustrações, áudios, fotos, gráficos, arquivos etc.) deste blog é de responsabilidade do blogueiro que o assina. A responsabilidade por todos os conteúdos aqui publicados, bem como pela obtenção de todas as autorizações e licenças necessárias, é exclusiva do blogueiro. Qualquer dúvida ou reclamação, favor contatá-lo diretamente no e-mail beniciojeff@gmail.com.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade