1 evento ao vivo

"Serenata" une as vozes de Raimundo Fagner e Nelson Gonçalves

27 nov 2020
16h35
atualizado às 17h23
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Depois de lançar Lábios que Beijei nas plataformas digitais - primeiro single de seu novo álbum - o lendário cantor e compositor cearense Fagner revela agora uma colaboração especialíssima com Nelson Gonçalves, feita com ajuda da tecnologia. Trata-se de uma nova versão para Serenata (Silvio Caldas e Orestes Barbosa), tendo como base a voz de Nelson Gonçalves gravada no álbum de 1991. O single já está disponível nas plataformas digitais pela Biscoito Fino.

Foto: Jorge Bispo / The Music Journal

Além de homenagear a um dos maiores e mais populares cantores do Brasil, o agora registro em dueto resgata histórias de Fagner com um dos seus grandes ídolos na música.

"Comecei a fazer seresta com as músicas do Nelson, jamais imaginaria que um dia viesse a gravar com ele. Na verdade, nossa relação não começou nada bem. Quando estourei com a música Noturno (Coração Alado), a mais severa e contundente crítica que recebi foi dele, o que muito me entristeceu. Até que um dia o Nelson apareceu no estúdio da antiga CBS, com o produtor José Milton, me convidando pra gravar no disco Eles e eu", relembra Fagner. "Sentamos no mesmo banco do piano pra tirar o tom de Mucuripe e um filme passou pela minha cabeça: a partir daí, nossa amizade era como a de dois adolescentes. Fazer este dueto com o Nelson é realizar um sonho, acho que refiz esta voz umas cinquenta vezes, ainda não caiu a ficha".

A relação de Fagner com essas canções começou em casa: "Na minha infância eu já ouvia música de adulto, especialmente Silvio Caldas, a quem considerava o maior. Tive a emoção de apresentá-lo em minha casa, quando de um show que fiz com Silvio em Fortaleza", relembra o cantor e compositor cearense.

Foto: Jorge Bispo / The Music Journal

Com tantas serenatas em sua vida, selecionar 12 para o álbum não foi tarefa fácil: "Esta foi talvez a parte mais difícil. Meu amigo e produtor José Milton tanto ajudou quanto complicou a minha escolha. Além de grande cantor, ele é um profundo conhecedor deste repertório", pontua Fagner, que prepara o lançamento do álbum para o início de dezembro.

Com título de Serenata, o novo trabalho, primeiro pela gravadora Biscoito Fino, reúne clássicos da música popular gravados originalmente por grandes vozes da Era do Rádio, compostos por Pixinguinha, Silvio Caldas, Cartola, Orestes Barbosa, Vinícius de Moraes e Chico Buarque.

Ouça:

Veja também:

Dua Lipa desabafa sobre ansiedade causada pelas redes
The Music Journal The Music Journal Brazil
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade