PUBLICIDADE

Imagine Dragons lança "Mercury: Act 1", quinto álbum de estúdio da banda

3 set 2021 16h17
ver comentários
Publicidade

O Imagine Dragons lança nesta sexta-feira (3), o novo álbum de estúdio da banda, intitulado Mercury: Act 1, gravado no no icônico estúdio Shangri-La, em Malibu, na Califórnia, do lendário e eclético produtor Rick Rubin, que elevou o projeto a um patamar ainda mais alto. A temática do compilado aborda questões de vida e morte e temas eternos da existência, resultado de alguns anos difíceis que o vocalista Dan Reynolds enfrentou, assim como a banda e o mundo em geral. O disco está em todas as plataformas digitais pela Universal Music, via Interscope Records.

Foto: Universal Music / The Music Journal

"Todo este álbum é sobre altos e baixos, e é daí que veio o nome Mercury. Então é disso que trata este álbum, é lidar com a dor, lidar com a perda de pessoas e também com a celebração da vida", reflete Dan Reynolds, vocalista do grupo.

Em Mercury: Act 1, a banda se posiciona de uma maneira sem filtros, como nunca antes. Desta forma, resolveram convocar o famoso produtor norte-americano Rick Rubin para colaborar no projeto. Rick já produziu álbuns de nomes como as bandas Red Hot Chilli Peppers, Rage Against The Machine, Beastie Boys e artistas como Kanye West, Adele e muitos mais. O grupo enviou não só algumas dezenas, mas 100 músicas para que o produtor avaliasse e o quarteto ficou maravilhado com o retorno. Juntos no estúdio do produtor, eles tiveram conversas francas sobre cada detalhe.

Foto: Universal Music / The Music Journal

"Ele não tinha medo de compartilhar o que não gostava. O mais importante era que ele dizia coisas como 'não sinto que você está sendo honesto comigo nesse verso'", relembra Reynolds.

A parceria deu tão certo que, além de Reynolds, McKee, baixista do grupo, e Platzman, o baterista, também não pouparam elogios à forma de trabalhar do produtor: "Rick queria que voltássemos às nossas raízes como um grupo de músicos explorando juntos uma fronteira sônica. Ele queria que todos nós explorássemos as diferentes maneiras como uma música poderia ser tocada - o que cada música poderia ser", diz McKee.

"A capacidade de Rick de levar em consideração a visão macro de uma música enquanto trabalha nos detalhes microscópicos de uma canção é impressionante. Aprendi muito observando-o executar as sessões", acrescentou Platzman.

Ouça o álbum:

The Music Journal The Music Journal Brazil
Publicidade
Publicidade