PUBLICIDADE

Theresa Amayo (1933-2022)

24 jan 2022 16h00
ver comentários
Publicidade
Foto: Facebook/Theresa Amayo / Pipoca Moderna

A atriz Theresa Amayo morreu na madrugada desta segunda-feira (24/1), aos 88 anos, em decorrência de um câncer de rim. Ela estava em casa e lutava contra a doença desde o ano passado.

Nascida em Belém, Theresa iniciou a carreira como atriz na década de 1950, época em que se lançou no teatro e começou a se projetar no cinema em diversos filmes, primeiro em melodramas como "Meu Dia Chegará" (1951), "Santa de Um Louco" (1953), "Perdidos de Amor" (1953) e "O Diamante" (1955), e depois em chanchadas como "Fuzileiro do Amor" (1957), "Na Corda Bamba" (1958), "O Camelô da Rua Larga" (1958), "O Barbeiro Que Se Vira" (1958) e "Eu Sou o Tal" (1959).

O sucesso no cinema a levou para a televisão, onde se tornou uma das primeiras contratadas da TV Globo, atuando nas novelas inaugurais da emissora, como "O Rei dos Ciganos" (1966), "A Rainha Louca" (1967), "Sangue e Areia" (1968) e "A Última Valsa" (1969), época em que costumava fazer par romântico com Claudio Marzo.

Ela também participou de "Pecado Capital" (1975) e produções modernas como "Senhora do Destino" (2004) e "Flor do Caribe" (2013).

Em dezembro de 2004, sua família foi abalada por uma tragédia, quando a filha, o genro e o neto se tornaram vítimas do tsunami na Tailândia que deixou mais de 220 mil mortos.

Nos últimos anos, tinha voltado ao cinema, participando de várias comédias, entre elas "S.O.S.: Mulheres ao Mar" (2014), "Sorria, Você Está Sendo Filmado" (2014), "Doidas e Santas" (2016) e "Sai de Baixo: O Filme" (2019).

Foto: Reprodução / Pipoca Moderna
Pipoca Moderna Pipoca Moderna
Publicidade
Publicidade