PUBLICIDADE

Bárbara Borges sobre alcoolismo: "Tenho recaídas"

Atriz dividiu a sua luta contra a bebida com o público pela primeira vez em 2019

13 set 2021 12h43
| atualizado às 13h24
ver comentários
Publicidade
Bárbara Borges falou sobre vício em bebidas pela primeira vez em 2019
Bárbara Borges falou sobre vício em bebidas pela primeira vez em 2019
Foto: Instagram/ @barbaraborgesoficial / Estadão

Bárbara Borges falou sobre o processo de cura do alcoolismo nesta segunda-feira (13). Em entrevista ao podcast 'Novela das 9', da Globo, ela explicou o que a motivou a dividir a batalha contra a bebida com o público, em 2019.

Na época, Bárbara estava há quatro meses sem beber e decidiu compartilhar um relato nas redes sociais sobre isso. A ideia era apenas fazer um alerta, porém o post repercutiu muito e ela recebeu diversas mensagens de pessoas que estavam vivendo algo parecido.

"Quando me tornei mãe (de Martin Bem e Theo Bem), senti essa necessidade de afastar o meu lado atriz e minha persona veio mais à tona. Então, comecei a falar sobre assuntos que eu estava descobrindo enquanto mãe, enquanto Bárbara (...) Fui me revelando para quem me acompanhava. E foram momentos muito complexos que eu estava vivendo também, porque a maternidade trouxe aquela sensação de que, de repente, eu estava vivendo uma nova e tinha que me entender nela", iniciou.

Nessa época, ela percebeu, com o apoio da psicoterapia, que enfrentava alguns abusos. "Antes era só beber e ficar de boa, como todo mundo bebe, brinca e socializa. Só que, durante a maternidade, eu estava vivendo um momento muito difícil no meu casamento, comecei a observar que tinha alguns abusos. Aí fiz um post falando que eu estava deixando de lado a minha relação de exagero com o álcool", continuou.

Com a repercussão da publicação muito maior do que o esperado, Bárbara passou a receber mensagens de fãs: "Eu comecei a ver que tem uma responsabilidade, um peso muito grande nisso, porque é sobre alcoolismo, uma doença. É muito sério falar sobre o alcoolismo. E eu precisava dizer que estou no meu processo de cura de muitas coisas, e ele é diferente do das outras pessoas. Eu não posso jamais e nem quero levantar uma bandeira e fazer o papel da salvadora".

"Estou me salvando, mas tenho recaídas. Estou em processo, vivendo. E hoje, descobri que a relação que eu estava vivendo antes era tóxica de um modo geral, eu precisava me tirar dela. Também estava sendo tóxica comigo. Então, graças a muita terapia e ao meu trabalho com espiritualidade, me sinto à vontade para falar que não estou aqui para salvar ninguém. Posso ajudar a inspirar pessoas a buscarem o caminho delas, a buscarem ajuda. E eu continuo seguindo a minha vida, com altos e baixos", analisou.

"O que me deixa tranquila é que eu senti que havia algo de errado e acabei expondo isso. Eu fui para o olho do furacão mudar a minha dinâmica. Busquei ajuda terapêutica, tive conexão espiritual. Fiz tudo que podia para parar de girar a roda do jeito que estava me fazendo sofrer. Foi uma reconstrução, um recomeçar. Eu fui meio que desintoxicando minha vida e voltando. Voltando ao zero para redescobrir meu amor próprio, minha força. É um processo. Hoje eu posso brindar. Não sinto mais vontade porque eu quebrei a minha dinâmica. Nesse sentido está curado", completou.

Estadão
Publicidade
Publicidade