1 evento ao vivo

Marcas se manifestam após tuítes racistas de Júlio Cocielo

Empresas como Adidas, Coca-Cola e Submarino já fizeram ações publicitárias com o youtuber, e ressaltaram que não toleram preconceito

2 jul 2018
17h36
atualizado às 19h32
  • separator
  • comentários

No último sábado, 30, o youtuber Júlio Cocielo comentava o jogo entre França e Argentina pela Copa do Mundo em seu Twitter quando fez um comentário considerado racista sobre Mbappé, jogador negro da seleção francesa. "Mbappé conseguiria fazer uns arrastão top na praia hein [sic]", publicou ele.

Youtuber Júlio Cocielo está sendo criticado após publicar tuítes racistas. 
Youtuber Júlio Cocielo está sendo criticado após publicar tuítes racistas.
Foto: Instagram/@cocielo / Estadão

Depois disso, internautas resgataram tuítes antigos nos quais ele fazia mais comentários racistas, incluindo um que até sugeria "exterminar os negros". Após a enxurrada de críticas, ele publicou uma nota se desculpando e justificando suas publicações e excluiu os tuítes antigos.

Entretanto, as desculpas não foram suficientes para melhorar sua imagem - o que virou um problema para as marcas que fazem ou já fizeram ações publicitárias com ele. Clientes começaram, inclusive, a pedir publicamente nas redes sociais posicionamentos das empresas, e já houve retorno.

Em nota enviada ao E+, a Adidas comunicou que, por repudiar "todo e qualquer tipo de discriminação, decidiu suspender a parceria com o youtuber Júlio Cocielo".

Já o Itaú disse que o youtuber "não faz mais parte" de qualquer ação publicitária e que a empresa "repudia toda e qualquer forma de discriminação e preconceito", e espera que "o respeito à diversidade sempre prevaleça".

A Coca-Cola, que já realizou algumas ações publicitárias pontuais com o youtuber, declarou que não tem mais qualquer ligação com o youtuber e que "não tem planos para futuras parcerias", ressaltando que repudiam "qualquer forma de racismo, machismo, misoginia e homofobia" e que "o respeito à diversidade é um dos principais valores da companhia".

O McDonald's, que também já realizou ações com o youtuber, disse apenas que "não tem nenhuma relação comercial com ele". No Twitter, o Submarino disse que "repudia veementemente qualquer manifestação racista e tomará as providências necessárias", e retirou a campanha em que Cocielo aparecia do ar.

Ouça o podcast do Terra especial Copa do Mundo:
 

Veja também:

 

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade