PUBLICIDADE

'Rust': Sai primeira condenação por tiro de Alec Baldwin que matou diretora no set

A investigação policial ainda busca apurar por que havia munição real no set, o que é proibido

1 abr 2023 - 11h04
(atualizado às 13h55)
Compartilhar
Exibir comentários
'Rust': Sai primeira condenação por tiro de Alec Baldwin que matou Halyna Hutchins no set
'Rust': Sai primeira condenação por tiro de Alec Baldwin que matou Halyna Hutchins no set
Foto: Reprodução/Redes Sociais

O primeiro assistente de direção do filme Rust, protagonizado por Alec Baldwin, cuja diretora de fotografia morreu vítima de um disparo no set de filmagem, foi condenado nesta sexta-feira, 31, a seis meses de liberdade condicional, após um acordo judicial.

A condenação, por manuseio inseguro de arma de fogo, foi a primeira neste caso, que comoveu Hollywood. Foi o assistente Dave Halls que entregou a Baldwin, em 21 de outubro de 2021, a arma supostamente carregada que o ator acionou, matando Halyna Hutchins e ferindo o diretor do filme, Joel Souza.

Halls, de 63 anos, deu a arma a Baldwin informando ao ator que a mesma não era perigosa. Assim como a armeira do filme, Hannah Gutierrez-Reed, Baldwin foi acusado de homicídio culposo. Se condenados, eles podem pegar até 18 meses de prisão e multa de US$ 5.000. 

A investigação policial busca apurar por que havia munição real no set, o que é estritamente proibido, para evitar acidentes. A polícia concluiu que Hannah colocou a munição na arma usada por Baldwin, em vez de uma bala falsa.

Na audiência desta sexta-feira, 31, em um tribunal do Novo México, onde ocorria a filmagem, a promotora Kari Morrissey considerou que Halls, que também era o coordenador de segurança da filmagem, constituindo, portanto, "a última linha de defesa", não havia "revisado cada cartucho" da arma para confirmar que se tratava de munição falsa, ou seja, que não continha pólvora.

Baldwin, de 64 anos, sempre disse ter certeza de que a arma que usou no set era inofensiva.

Ao se declarar culpado nesta sexta-feira, 31, Halls concordou em depor no futuro sobre o assunto.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade