PUBLICIDADE

Oscar 2024 bate recorde de representatividade e inclusão: entenda o motivo

Após novas políticas de inclusão, premiação bate recordes e inicia caminho de mudança.

24 jan 2024 - 14h34
Compartilhar
Exibir comentários
Oscar 2024 bate recordes de representatividade:

No ano de 2024 teremos o Oscar de maior representatividade na história da premiação. Já é possível encontrar na internet algumas pessoas reclamando bastante do teor representativo, então nesta matéria de hoje iremos explicar detalhadamente o que exatamente isso tudo significa.

Historicamente, o Oscar tem sido criticado por sua falta de diversidade. Quando completou 90 anos de premiação, apenas 40 dos quase 3.000 premiados foram pessoas negras. A representatividade de outras minorias é ainda mais escassa. Por exemplo, em quase um século, somente sete mulheres foram indicadas para Melhor Direção, e apenas em 2010, Kathryn Bigelow tornou-se a primeira mulher a ganhar este prêmio com "Guerra ao Terror".

Em 2020, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas anunciou uma mudança significativa: a inclusão de critérios de representatividade como pré-requisito para a elegibilidade nas categorias principais. Isto gerou controvérsia, especialmente entre grupos conservadores, mas muitos críticos não se aprofundaram nas nuances das novas regras.

Lily Gladstone foi a primeira nativa americana a concorrer ao prêmio de Melhor Atriz.
Lily Gladstone foi a primeira nativa americana a concorrer ao prêmio de Melhor Atriz.
Foto: REUTERS

Para concorrer a Melhor Filme, uma produção deve atender a pelo menos um de quatro padrões de inclusão. O Padrão A exige que um personagem significativo pertença a um grupo subrepresentado ou que 30% do elenco seja composto por tais grupos, incluindo mulheres. O Padrão B foca na equipe técnica, exigindo a mesma porcentagem de inclusão. O Padrão C obriga a oferta de estágios ou aprendizagens remuneradas para pessoas de grupos sub-representados pelas empresas de produção, distribuição ou financiamento. Por fim, o Padrão D requer executivos seniores de grupos sub-representados nas equipes de marketing, publicidade ou distribuição.

Vale lembrar, no entanto, que ao contrário do que espalharam os críticos fervorosos à ideia, um filme precisa seguir apenas um dos quatro padrões citados acima - e, convenhamos, ter políticas de inclusão mínimas na equipe técnica não é nenhum terror ou tarefa impossível para grandes estúdios, não é mesmo?

Esta mudança já refletiu nos indicados de 2024. Lily Gladstone fez história como a primeira nativa americana indicada para melhor atriz em "Assassinos da Lua das Flores". Colman Domingo tornou-se o primeiro afro-latino indicado a melhor ator por "Rustin", marcando também a primeira vez na história que dois atores negros concorrem simultaneamente nesta categoria, com exceção de Denzel Washington e Will Smith.

Colman Domingo é o primeiro afro-latino a concorrer na categoria de Melhor Ator.
Colman Domingo é o primeiro afro-latino a concorrer na categoria de Melhor Ator.
Foto: Instagram/Television Academy / Pipoca Moderna

Jodie Foster e Colman Domingo, ambos abertamente LGBT, foram indicados por interpretarem personagens LGBT, marcando também a primeira vez que isso acontece nesta quantidade. Além disso, Celine Song é a primeira mulher asiática indicada para melhor roteiro original por "Vidas Passadas". 

Nos últimos 3 anos, nenhuma mulher havia sido indicada à categoria de Melhor Roteiro Original, mas agora tivemos logo 3: Justine Triet em Anatomia de Uma Queda, Samy Burch em Segredos de um Escândalo, e a própria Celine Song.

Os filmes envolvidos foram universalmente elogiados, demonstrando que esta inclusão não compromete a qualidade artística. Este avanço na representatividade é um passo importante na indústria cinematográfica, embora ainda haja um longo caminho a percorrer. Mas queremos saber de você: qual sua opinião sobre isso tudo? Deixe aqui nos comentários e não esqueça de continuar nos acompanhando para mais conteúdos.

Fonte: Ygor Palopoli
Compartilhar
Publicidade
Publicidade