5 eventos ao vivo

Cineasta diz que quase usou seu Oscar para bater em Harvey

Ganhador da estatueta por Titanic, o diretor chegou perto de agredir o ex-produtor para defender Guillermo del Toro.

27 nov 2017
11h37
atualizado às 14h09
  • separator
  • 0
  • comentários

No mundo do cinema, especialmente estadunidense, um Oscar é um item bastante precioso e desejado, daqueles que ganham destaque nas prateleiras, estantes e salas de troféus de seus vencedores. Mas quando você recebe três prêmios pelo mesmo filme e precisa defender um amigo, uma das estatuetas pode virar um porrete. Isso quase aconteceu em 1998, quando o cineasta James Cameron chegou perto de agredir o então produtor Harvey Weinstein, centro do escândalo de abusos sexuais que abalou Hollywood:

"É meio que uma longa história, mas a briga teve a ver com a forma como Guillermo del Toro foi tratado pela Miramax [antiga empresa de Weinstein antes da The Weinstein Company, da qual foi demitido] no set de Mutação. Harvey chegou me cumprimentando, falando como ele era ótimo com artistas, e eu simplesmente disse o quão ótimo eu o achava com artistas baseado nas experiências do meu amigo. E isso levou a uma discussão", declarou o realizador ao relembrar a noite de glória de Titanic, em entrevista à revista Vanity Fair.

Foto: Caroline McCredie / AdoroCinema

A figura do ex-magnata da indústria - que já era conhecido por ser uma pessoa "difícil" mesmo antes do escândalo tomar as manchetes dos jornais - ganha novos e problemáticos contornos a cada revelação e acusação que surgem contra si. Investigado criminalmente por departamentos policiais nos Estados Unidos e na Inglaterra - inclusive pela famosa Scotland Yard -, Weinstein foi denunciado por abuso sexual e estupro, caindo em desgraça durante a onda de testemunhos que expôs o lado mais sórdido de Hollywood e derrubou outros grandes nomes como Kevin Spacey, Louis C.K. e Brett Ratner.

AdoroCinema
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade