PUBLICIDADE

"Título será lembrado eternamente", diz presidente da Mancha Verde

Paulo Serdan, presidente da Mancha Verde, diz que escola ficará marcada pelo título após o hiato em decorrência da pandemia

26 abr 2022 - 20h24
(atualizado às 20h55)
Ver comentários
Publicidade

Após conquistar o bicampeonato do Carnaval de São Paulo, a Mancha Verde abriu a sua quadra para a festa da comunidade. A escola da Barra Funda, bairro da zona oeste da capital paulista, venceu a disputa após 1 ano sem a grande festa no Anhembi, e esse é o aspecto mais valorizado pelo presidente da escola. Paulo Serdan. "É um título especial por tudo que a gente passou de 2020 para cá, por todas as perdas, por tudo que o planeta tem sofrido", disse o presidente em entrevista ao Terra. "É um título que vai ter peso, não que os outros não tenham, mas esse terá um peso, será lembrado eternamente", completou.

"Título será lembrado eternamente", diz presidente da Mancha Verde
"Título será lembrado eternamente", diz presidente da Mancha Verde
Foto: Jorge Bevilacqua / Estadão

A porta-bandeira da escola, Adriana Gomes, também foi pelo mesmo caminho, ressaltando a importância da volta a avenida e o papel social do samba. "O Carnaval é necessário, o Carnaval é cultural e a Mancha fez a sua parte no social. Eu acho que todo mundo é merecedor, a gente também se entende como campeão junto com a escola e dessa vez deu tudo certo", falou a responsável por levar o pavilhão da escola pelo sambódromo do Anhembi.

O título veio em uma disputa acirrada, a escola da zona oeste alcançou 269.9 pontos, assim como a Tom Maior, Mocidade Alegre e Império de Casa Verde, mas garantiu o título pelo critério de desempate. O intérprete da Mancha Verde, Freddy Viana, comemorou o título mas também a realização do Carnaval: "Depois de 2 anos a gente lava a alma, não só com o campeonato, mas esse Carnaval é para o mundo do samba todo, que estava triste mas voltou a ficar feliz".

:

O desfile da Mancha Verde foi marcado por um atraso que fez a escola entrar no Sambódromo do Anhembi com pelo menos 11 minutos de atraso. O braço do boneco principal do carro abre-alas caiu, mas foi consertado antes de entrar na avenida. A evolução na avenida, que poderia impactar o desempenho da escola, ocorreu normalmente, completando o desfile 1 minuto antes do tempo máximo.

Com o enredo "Planeta Água", ela levou para a aveida uma reflexão sobre a importância da preservação e valorização do recurso natural. Uma história contada por 2.200 integrantes, em18 alas e 4 carros alegóricos, que também contou com o brilho, o charme e o samba no pé da princesa Duda Serdan, 17, única musa a brilhar à frente da bateria.

Veja fotos do desfile em fotos:


 

Fonte: Redação Terra
Publicidade
Publicidade